“Sérgio Moro fora das eleições de 2022” – Kleber Moraes

Maia E Toffoli Querem Fazer Com Moro O Que Este Fez Com Lula, Tirá-Lo Da Eleição De 2022

Por Celeste Silveira-O Antropofagista
Compartilhado por Central de Jornalismo

A rotação da terra produz tanto divindades quanto demônios e gigantes se transformam em duendes.

Talvez este seja o caso de Moro que, quando condenou Lula, assumiu na própria sentença que não dispunha de provas de que Lula tenha obtido qualquer vantagem ou mesmo que tenha oferecido vantagem à OAS, como prova de corrupção.

Ainda assim Moro seguiu com seu projeto que, na verdade, teve início logo no começo da Lava Jato, de usar a operação, em parceria com a Globo, como trampolim para chegar à presidência da República.

Para isso, Moro precisava de três coisas, tirar Dilma da presidência, impedir Lula de ser candidato e participar como ministro do governo eleito, já que a lei o proibia de ser ele próprio o candidato.

Assim foi feito o acordo entre as milícias de Curitiba e de Rio das Pedras, tendo Paulo Guedes, o maior trapaceiro do mercado financeiro, fazendo a ponte entre as duas organizações criminosas para que Moro trocasse a cabeça de Lula por um cargo num super ministério de Bolsonaro para, assim, dividir os holofotes com ele, numa nítida arquitetura de marketing político rumo ao objetivo principal, a presidência da República.

Claro que Bolsonaro sabia disso, afinal gambá cheira gambá.

Mesmo Moro se prontificando a ser o capanga da milícia, Bolsonaro sabia que estava criando uma cobra e que, em algum momento, ela o picaria. Por isso, tirou o Coaf das mãos de Moro porque, de cara, o escândalo Queiroz/Michelle já tinha deixado claro que, nas mãos de Moro, serviria facilmente como guilhotina contra o rei.

Moro, então, ficou limitado a ser uma espécie de babá dos filhos de Bolsonaro sem jamais querer saber dos assuntos de Queiroz, Ronnie Lessa e Adriano da Nóbrega, preferindo tentar tirar o caso Marielle do Ministério Público do Rio de Janeiro e dar uma prensa no porteiro para que mudasse a versão sobre o Seu Jair da Casa 58 do Vivendas da Barra. Aliás, o porteiro desapareceu e ninguém mais ouviu falar dele.

Mas como Moro já estava com o bote armado, aproveitou a conversa fiada de que Bolsonaro queria aparelhar a PF, como se ele já não tivesse feito isso contando com sua parceria, para sair do governo atirando diante dos holofotes da Globo. Mas como se viu, não passou de um tiro de festim, tanto que os bolsonaristas com quem Moro contava com o apoio, foram frontalmente contra ele e a favor do bandido preferido deles.

Bolsonarista é assim, bandido por bandido, eles são mais afeitos ao de maior patente, já que ninguém vale nada nessa tríade fascista.

O que Moro não esperava era um contra-ataque mortal de Bolsonaro via PGR e, muito menos, a posição de ataque que enfrentaria de Toffoli, presidente do Supremo, e de Maia, presidente da Câmara que pretendem, através de uma lei, colocar em quarentena de oito anos, juízes que abandonarem a toga para se tornarem políticos.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *