Polêmica: pastor cria igreja da maconha e defende o uso controlado da erva

Por Notícias Gospel
Compartilhado por Central de Jornalismo

A legalização da maconha é algo que vem sendo alvo de discussão há muito tempo e isso inclui o meio religioso. Nos Estados Unidos, por exemplo, o pastor Craig Gross tem uma visão bem controversa a respeito do assunto.

Ele diz que a maconha lhe ajudou e que seu uso tem sido positivo, de forma controlada. O pastor é conhecido por trabalhar com pessoas presas e viciadas em pornografia, com o objetivo de liberta-las, e isso através de um ministério chamado “XXXChurch”, em Pasadena, Califórnia.

Mas recentemente, o dito pastor foi além e desenvolveu o Christian Cannabis. Esse projeto oferece aos cristãos a maconha de forma introdutória e é ofertado por um site, que segundo ele é para fins benéficos.

“Fui cristão a vida toda e ainda carrego esse título. E não vou abandonar esse nome ainda, como muitos de meus amigos. Também não estou apenas tentando tornar isso relevante, mas os cristãos precisam falar sobre essas coisas”, diz ele.

“Então pensei: vamos nos divertir com isso e chamá-lo do que é, porque isso vai aprimorar a conversa para o nosso mercado. Nosso mercado é de cristãos que amam o Senhor”, destaca.

Gross diz que devido os supostos benefícios que a erva pode proporcionar, as igrejas precisam debater mais sobre esse assunto, principalmente depois da legalização oficial em alguns estados.

“Em Michigan, conversei com um pastor, ele é o único pastor dentre todos com quem conversei que disse: ‘tivemos uma reunião da equipe da igreja sobre isso e precisamos ter outro porque não sei do que realmente precisamos fazer”, disse Gross.

“Ele não se sentiu adequado o suficiente para falar do assunto à sua congregação, mas eles estão pensando nisso antes que isso seja legal… o que me choca são as igrejas da Califórnia, Oregon, Denver, Washington que são silenciosas. As pessoas que seguem e sentam em seus bancos merecem algo mais do que apenas ‘eu não sei. Nós não falamos sobre isso aqui. Isso precisa mudar”, argumenta o pastor.

Gross foi questionado por cristãos, que disseram que a maconha contaminaria o corpo, como uma droga, causando dependência e outros efeitos adversos, como prejuízos emocionais e cognitivos, mas em resposta ele afirma que o uso responsável não faz mal, segundo o Christian Post.

“Algumas das coisas que eu precisava de maconha desde o início, não preciso mais dela. Eu aprendi como fazer isso. Algumas pessoas pensam: ‘Craig precisa de maconha para orar’. Não foi o que eu disse. Eu disse que isso relaxa a minha mente”, afirmou.

Por fim, o tal pastor parece ser mais uma pessoa que, como fruto da carência de informações, compreensão dos próprios problemas e soluções corretas para lidar com eles, embarcou em sua própria concepção de vida e agora influencia milhares de pessoas.

“Meu objetivo final com a Christian Cannabis é que não demore 18 anos para ver esse tipo de conversa com esse tópico. Seremos tarde demais se esperarmos 18 anos. A hora é agora. Inicie esta conversa. Vai ser legal onde você tem uma igreja e as pessoas na sua igreja vão ter perguntas”, conclui.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *