Estadão considera que sentença de Moro a Lula será anulada

Fonte: O Estadão
Por Sued e Prosperidade
Compartilhado por Central de Jornalismo

Vitória de Lula: STF diz que Moro

Anteriormente um dos maiores jornais porta-vozes do lavajatismo e de Sérgio Moro, Estadão considera que após a decisão do STF, a sentença de condenação do ex-presidente Lula, pelo então juiz Sérgio Moro, poderá ser anulada.

Após a vitória de Lula no STF, que foi reconhecida a parcialidade de Moro contra Lula, o jornal Estadão já considera portanto que a condenação de Lula no caso Triplex, poderá ser anulada.

De acordo com o jornal o pedido de suspeição do ex-juiz da Lava Jato que será julgado pelo STF em outubro, poderá anular condenação de Lula.

Ainda de acordo com o jornal caso decidam pela suspeição de Moro nos casos contra Lula, outros processos do ex-presidente Lula voltarão a estaca zero:

Contudo, caso o Supremo decida pela suspeição, a avaliação entre ministros da Corte é de que decisões tomadas pelo ex-juiz em outros processos, como o do sítio de Atibaia e do Instituto Lula, podem ser invalidadas.

Ou seja, os processos correriam o risco de voltar à estaca zero, representando um revés para a Lava Jato envolvendo seu principal alvo. .
Procuradores da Lava Jato até admitiram publicamente que Bolsonaro era o “candidato da Operação”.

Os membros da Lava Jato da Curitiba também admitiram voto e apoio em Bolsonaro, no entanto se dizem “arrependidos”.

Procurador Carlos Fernando dos Santos Lima Admitiu que Bolsonaro era candidato da Operação.

Moro condenou Lula, entretanto não esperou nem 10 dias após a vitória de Bolsonaro nas eleições de 2018, para aceitar cargo no governo.

De acordo com decisão da Segunda Turma do STF, Moro atuou para interferir no processo eleitoral de 2018.

Atuou portanto para eleger Jair Bolsonaro.

Dessa forma o Estadão, avalia que a sentença do ex-presidente Lula poderá ser anulada.
Uma justiça que por fim será feita.

CONTINUA
Bolsonaro cogitou usar tropas para fechar STF para evitar perícia em seus celulares

05/08/2020

Militares de baixa patente romperam com Bolsonaro, diz sindicalista
Imagem do Google

Um verdadeiro e potencial escândalo acaba de ser revelado pela Revista Piauí.

De acordo com matéria da Revista, Bolsonaro teria sondado militares para invadir o STF, fecha-lo e impedir apreensão de seus celulares para perícia e investigação, por que Bolsonaro temia tanto isso ?

Um escândalo com potencial explosivo acaba de ser publicado nessa quarta-feira (5) na Revista Piauí.

Primeiramente uma suspeita e agora como fato, Bolsonaro cogitou fechar o STF parai impedir perícia e apreensão de seus celulares em âmbito de uma investigação.

De acordo com a matéria da Revista Piauí, Bolsonaro contatou Ministros militares que iria colocar tropas para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF) no dia 22 de maio.

O fato torna-se ainda mais grave porque além da invasão para “fechar” o STF, os militares iriam “destitutir” os onze Ministros.

“Bolsonaro queria mandar tropas para o Supremo porque os magistrados, na sua opinião, estavam passando dos limites em suas decisões e achincalhando sua autoridade.

Na sua cabeça, ao chegar no STF, os militares destituiriam os atuais onze ministros.

Os substitutos, militares ou civis, seriam então nomeados por ele e ficariam no cargo “até que aquilo esteja em ordem”, segundo as palavras do presidente”, diz a reportagem assinada pela jornalista Monica Gugliano. .

Bolsonaro contudo obteve uma negativa dos Ministros Braga Neto e General Heleno, na avaliação dos mesmos:“Não é momento para isso”.

Ou seja pode se considerar que a reação negativa teria sido por Bolsonaro não reunir apoio popular suficiente no momento para uma investida grave contra as Instituições.

De acordo com a matéria, Heleno aconselhou a Bolsonaro a não fechar STF

O episódio narrado aconteceu com o pedido do Ministro Celso de Mello pedindo a Procuradoria Geral da República, a apreensão dos celulares de Bolsonaro e do filho.

De acordo com a avaliação da deputada Sâmia Bonfim (PSOL-SP), o pedido de intervenção no STF, usando militares é motivo para iniciar um Impeachment contra Bolsonaro.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *