Diário da Quarentena -“Escolas não conseguem conter piolho, imagina Covid” Volta às aulas é crime!

Por Caco Schmitt

Jornalista, roteirista e diretor. Trabalhou na TV Cultura/SP como diretor e chefe da pauta do jornalismo; diretor na Agência Carta Maior/SP e na Produtora Argumento/SP. Editor de texto no Fantástico, TV Globo/SP. Repórter em vários jornais de Porto Alegre, São Paulo e Brasília.


A frase do prefeito de São Paulo, Bruno Covas, ao justificar porque ainda não existe uma data definida para a volta das aulas na rede municipal, resume a polêmica que vai crescer no Brasil a partir de hoje, dia do retorno às aulas do ensino médio e de jovens e adultos na capital do Amazonas. Os professores são contra a volta para 110 mil estudantes de Manaus, mas o governo diz que investiu 10 milhões em protocolo de biossegurança, medição de temperatura, dispensador de álcool gel e uso de máscaras. Acontece que não existe teste para os professores, que dizer para os alunos. Ou seja: ninguém sabe quantos estão contaminados no meio de estudantes, funcionários de escola e professores. O Amazonas tem pouco mais de 4 milhões de habitantes, mas já são 107 mil casos e 3.350 mortes por covid-19.
Em São Luiz, Maranhão, escolas particulares abriram há duas semanas e agora recuam porque um funcionário de escola estava com covid-19. Em todo o mundo essa polêmica é a fase final da volta à normalidade possível, quando o número de mortes é quase zero e contaminação controlada. Aqui no Brasil, com as mortes subindo (um patamar de mil por dia) e a contaminação ao redor de 40 mil novos casos diários, forçar a volta às aulas é um crime. Não conseguem acabar com o piolho e querem lutar contra o novo coronavírus nas escolas, onde a alegria, a pureza indisciplinada e a irreverência das crianças e jovens são presas fáceis para o inimigo invisível. Lembrando que em regiões pobres do país falta até água nas torneiras de escolas
Nos Estados Unidos a reabertura das escolas contaminou 97 mil crianças por covid-19. A volta às aulas está sendo questionada. Na escola primária da cidade de Graal-Müritz, Alemanha, voltou o ensino remoto depois que um aluno testou positivo para o novo coronavírus. Israel, um dos primeiros países a abrir, agora questiona. Autoridades reconhecem que reabertura apressada das escolas foi um grande fracasso. Em vários países da Europa, houve dezenas de casos de escolas que suspenderam as aulas poucos dias após a abertura por conta de contaminações.
Os jovens e as crianças desconsideram as máscaras em países onde a maioria dos adultos, disciplinada e educadamente, seguiram as recomendações das autoridades de saúde. Que dizer aqui no Brasil, onde o exemplo dos pais e irmãos mais velhos é o de não usar máscaras e se aglomerar nas ruas, parques, lojas… Então, fico com o alerta do prefeito Covas: no Brasil, onde os frigoríficos são centros de infecção, onde o transporte público é o corredor das mortes futuras, e o desgoverno federal lava as mãos, não se importa com as mortes e diz pra tocar a vida, VOLTA ÀS AULAS SÓ COM VACINA. Salvem nossas crianças desses loucos assassinos!
Foto: Divulgação/Escola Meu Caminho

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *