Funcionários do BB pedem investigação sobre venda de créditos ao BTG Pactual

Carteira de crédito valeria quase R$ 3 bilhões, mas foi vendida por R$ 371 milhões ao banco BTG Pactual; funcionários pediram investigação ao TCU

Por Brasil Econômico
Compartilhado por Central de Jornalismo

Rubem Novaes pediu demissão da presidência do Banco do Brasil, mas antes, houve uma venda de crédito suspeita.

Funcionários do Banco do Brasil acharam suspeita a venda de uma carteira de crédito do Banco do Brasil para o banco BTG Pactual por apenas 10% do valor.

A Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (ANABB) pediu uma investigação ao Tribunal de Contas da União sobre a operação de venda da carteira.

Presidente do Banco do Brasil, Rubens Novaes, pede demissão
Bolsonaro e Guedes buscam novo presidente do BB, mas salário é considerado baixo
Equipe de Guedes tem terceiro pedido de demissão em menos de um mês

O Banco do Brasil é alvo de críticas por partidos políticos e sindicatos por supostamente vender barato demais a carteira de crédito. Ela foi vendida por R$ 371 milhões, mas valeria R$ 2,9 bilhões.

Essa foi uma das últimas transações feitas na gestão de Rubem Novaes , que pediu demissão na última sexta (24) e criticou a cultura de corrupção de Brasília. O atual ministro da Economia, Paulo Guedes, foi um dos fundadores do BTG Pactual. Hoje o banco é comandado por André Esteves.

“A Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (ANABB) pediu ao Tribunal de Contas da União (TCU) que investigue a operação de venda da carteira de crédito de R$ 2,9 bilhões para o BTG Pactual. O Banco do Brasil está sendo criticado por partidos políticos e sindicatos por supostamente vender barato demais a carteira de crédito”, expressou a organização de funcionários ao jornal Estadão.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *