Diário da Quarentena-Mais uma chance para acabar com a política Ronaldinho!

Por Caco Schmitt

Dia dia 243 (17.11.2020)

Jornalista, roteirista e diretor. Trabalhou na TV Cultura/SP como diretor e chefe da pauta do jornalismo; diretor na Agência Carta Maior/SP e na Produtora Argumento/SP. Editor de texto no Fantástico, TV Globo/SP. Repórter em vários jornais de Porto Alegre, São Paulo e Brasília.

Em primeiro lugar, fiquei chocado ao ver em torno do gramado do Maracanã placas da casa de apostas Betcris com o ex-jogador Ronaldinho Gaúcho. Bota garoto-propaganda nisso! Depois, concluí que esses painéis de LED transmitidos o vivo pela TV aberta são o retrato atual do nosso país, da política brasileira. Vivemos a era da Política Ronaldinho. Essa filosofia de apostar numa personalidade que ficou seis meses presa por entrar no Paraguai com documentos falsos, e por suspeita de participar de uma lavanderia de dinheiro sujo, é o que nós temos visto nos últimos tempos e, por óbvio, no primeiro turno das eleições municipais. Exemplo mais claro? O segundo turno no Rio de Janeiro: o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) e o atual Marcelo Crivella (Republicanos), enrolados com escândalos, foram os escolhidos pelos cariocas.
Por todo o país os exemplos são vários. Aqui no sul, dois chamam a atenção: o ex-deputado federal José Otávio Germano (PP) eleito prefeito em Cachoeira do Sul, é o mais emblemático da Política Ronaldinho. Ele foi indiciado por corrupção passiva qualificada, lavagem de dinheiro e organização criminosa na Operação Lava Jato, mas não é do PT, é PP, aí disputa eleição e ganha, com 13.574 votos (31,68%). Alguma surpresa num estado cuja elite rural usou relho pra bater em apoiadores do presidente Lula?
O ex-prefeito de Santa Maria, Cezar Schirmer (MDB), foi eleito vereador em Porto Alegre, com 3.484 votos, e, pasmem, o mais votado entre os emedebistas. Ele disse: “Em Santa Maria, eu acho que já cumpri minha função como prefeito”. Sim, 242 mortos no incêndio da Boate Kiss e mais de 600 feridos… Até hoje, sete anos depois, ninguém punido e o ex-prefeito premiado com mandato de vereador na capital dos gaúchos. Schirmer fundamentou a campanha na sua passagem pela Secretaria Estadual de Segurança. Aliás, não só ele… Nas eleições de alguns anos atrás, e não vamos muito longe, a gente lia nos santinhos, ouvia propaganda de rádio e via na tevê os nomes de muitos candidatos associados a sua militância social e profissional: Professor Luizinho, Doutor Antônio, Metalúrgico Rafael, Poeta Juvenal. Hoje, na era da Política Ronaldinho é só na área da segurança: capitão, major, delegado, delegado da polícia federal etc.
Pois bem, a Política Ronaldinho não será eterna e já apresenta algumas fissuras. É um alento a derrota nas urnas da maioria esmagadora dos candidatos apoiados pelo psicopata que ocupa a presidência. O símbolo maior é o deputado federal Celso Russomanno (Republicanos), alijado do segundo turno na disputa da prefeitura de São Paulo. O professor Guilherme Boulos (PSOL) irá enfrentar a dinastia tucana paulista. Aqui em Porto Alegre, temos duas semanas pra eleger Manuela (PCdoB), a primeira mulher prefeita da história da capital dos gaúchos. Existe uma esperança: a nova Câmara de Porto Alegre terá 30% de mulheres e cinco parlamentares negros, sinal que há um despertar a caminho. Eleger Manuela é mais um passo pra gente enterrar a Política Ronaldinho que está destruindo o Brasil.
(OBS: há 43 dias não relatava em forma de diário, uma eternidade…)x

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *