Cirilo pode ser a “zebra na eleição de Macapá”

Com crescimento de 42% na reta final de campanha, Cirilo Fernandes é a surpresa na eleição municipal de Macapá domingo, próximo dia 6.

O estado do Amapá viveu a pior crise de falta de luz da sua história recente no mês de novembro com reflexos de instabilidade até agora, em 13 de seus 16 municípios, incluindo a capital Macapá.
Isso obrigou a justiça eleitoral local em conjunto com TSE a promoverem a mudança da eleição para escolha do novo prefeito o que vai acontecer nesse domingo dia 6 de dezembro em primeiro turno e no dia 20, se houver, uma segunda votação entre os dois candidatos melhor votados. Nesse ano concorrem 10 candidatos das mais variadas tendências partidárias ideologicas.
A eleição de Macapá está chamando a atenção de todos por conta dos componentes políticos relacionados ao pleito e suas consequências até nacionais para o ano de 2022.
O fenômeno mais interessante do pleito é que o efeito negativo do Black-out imposto a população fez despencar a popularidade dos favoritos.
O candidato mais prejudicado foi Josiel Alcolumbre, do DEM, irmão do atual presidente do senado Davi Alcolumbre que na avaliação da população pouco tem feito pelo seu estado natal, além de promessas de campanha na última hora.
Outra candidatura que estagnou é a de João Capiberibe velho político que já governou o estado, foi prefeito da capital e Senador, não tendo sido capaz de resolver o problema crônico da falta de infraestrutura desse que é um dos mais jovens estados brasileiros.
Nesse inusitado momento o que vem surpreendendo os analistas políticos é o desempenho do candidato Cirilo Fernandes do PRTB, mesmo partido do vice presidente da República -General Hamilton Mourão.
Com crescimento aferido em torno de 42% nos últimos dias, o funcionário público federal de carreira tem se notabilizado pela campanha modesta que realiza sem utilização do fundão partidário, sem espaço na mídia tradicional e por não esbanjar dinheiro sabe-se lá de qual origem ao preferir uma abordagem direta de convencimento pessoal junto ao eleitor, de que é preciso mudar o rumo da política nessa região do Brasil, tão depreciada por conta de escândalos e incompetência.
Essa tendência de crescimento foi detectada inclusive na recente pesquisa de opinião oficial publicada com autorização do TSE, onde Cirilo Fernandes já aparece em empate técnico com os dois antes favoritos absolutos, se for considerada a margem de erro do levantamento para cima e para baixo. Isso tem dado confiança e segurança ao eleitor simpatizante dessa campanha de que Cirilo deverá estar no segundo turno, se essa projeção se mantiver, cair um pouco, ou ainda subir.
Esse fato que tem levado pânico aos comitês da velha política possui várias explicações e um fator decisivo que é a rejeição ao jeito antigo de fazer política e campanhas no Amapá, sempre se prometendo muito, dando pouco a população e ainda assim só em tempos de eleição com obras que maquiam a situação das cidades sem jamais resolver as deficiências estruturais do estado como é o caso desse problema crônico da falta de energia, além do saneamento e de políticas públicas de desenvolvimento social e econômico.
Outros candidatos que antes vinham mantendo posições discretas na preferência popular também tiveram bom crescimento e isso poderá alterar a correlação de forças levando o resultado da eleição para o campo da indefinição até o final. Dentre as campanhas que receberam maior adesão do púbico estão as de Patrícia Ferraz do PODEMOS e a do médico costa-riquenho Dr. Furlan do partido CIDADANIA.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *