Diário da Quarentena- Começou a vacinação contra a Covid-19…na Rússia!

Por Caco Schmitt

Jornalista, roteirista e diretor. Trabalhou na TV Cultura/SP como diretor e chefe da pauta do jornalismo; diretor na Agência Carta Maior/SP e na Produtora Argumento/SP. Editor de texto no Fantástico, TV Globo/SP. Repórter em vários jornais de Porto Alegre, São Paulo e Brasília.

Dia 262

Agora pela manhã, o mundo começou a derrotar o novo coronavírus. A Rússia iniciou a imunização em massa contra a covid-19 nos 70 centros de vacinação abertos em Moscou. A meta é vacinar, nesse sábado, cinco mil moradores da capital. Os escolhidos foram profissionais da saúde, professores e assistentes sociais. Ao ver essa notícia no Jornal Hoje, às13h40min, decidi continuar com o meu diário da quarentena até o próximo dia 20 de março, completando um ano de anotações. Com ou sem vacina no Brasil… O registro começava assim: “dia 1 (20/03/2020) Hoje, sim, foi o primeiro dia em que fiquei por 24 horas em casa. Antes não pude permanecer trancado por estar fazendo as últimas compras para o recolhimento… É só o primeiro dia e parece uma eternidade! Angústia, medo por quem a gente ama, vontade imensa de trazer todos para baixo da asa e fechar as portas para o mundo… Então, pessoal, ficamos juntos e um torcendo pelo outro. Abraço virtual!”
262 dias depois, o Brasil tem 6.576.699 casos e 176.641 mortes, muitas poderiam ter sido evitadas. Os governos tiveram tempo pra se organizar, a população teve tempo para entender a gravidade, mas, infelizmente, não é o que acontece. Por isso, estão no Brasil 10% de todos os casos registrados no planeta e 10% das mortes. Os números globais da pandemia nesse sábado já somam 66 milhões de infectados e 1,5 milhão de mortes. A segunda onda da covid-19 ataca a Europa com força, os Estados Unidos batem seus próprios e trágicos recordes com 14 milhões de casos e 273 mil mortes e, aqui, a primeira onda não terminou e, tal qual brasa assoprada, ressurge em chamas, manchando de vermelho e de luto o mapa dos estados!
Felizmente, a Rússia abriu os trabalhos com Sputnik V, vacina desenvolvida pelo Instituto Gamaleya de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia com apoio dos ministérios da Saúde e da Defesa. Na semana que vem será a Inglaterra, com a vacina da Bio Pfizer e a alemã BioNTech. O governo encomendou 40 milhões de vacinas, 800 mil vacinas já chegaram da Bélgica. A ideia é vacinar cinco milhões de pessoas até janeiro de 2021. Depois serão os Estados Unidos, onde a Moderna prevê a liberação de 25 milhões de doses até o fim do ano, e por aí vai a esperança. Na América de sangue latino, a Pfizer já vendeu 59 milhões de doses para México, Costa Rica, Chile, Peru e Equador. A vacinação pode começar em janeiro. E o Brasil? No Brasil, Bolsonaro e seus generais defendem a cloroquina, ignoram a pandemia e fazem de tudo pra adiar a vacinação, rejeitando a vacina chinesa Coronavac, a russa e até a da Pfizer, com desculpas esfarrapadas… Espero que até o dia de encerrar esse diário, 20 de março de 2021, alguém já tenha sido vacinado no país.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *