Diário da Quarentena-Hoje é “V-Day” no Reino Unido

Por Caco Schmitt

Jornalista, roteirista e diretor. Trabalhou na TV Cultura/SP como diretor e chefe da pauta do jornalismo; diretor na Agência Carta Maior/SP e na Produtora Argumento/SP. Editor de texto no Fantástico, TV Globo/SP. Repórter em vários jornais de Porto Alegre, São Paulo e Brasília.

Dia 265

Acordei com vários textos de amigas e amigos no Facebook com a notícia de que onze meses depois do primeiro surto de covid-19 na China, o Reino Unido deu start no seu programa de vacinação. É o “V-Day”, uma alusão ao dia da vitória (Victory Day) contra os nazistas na Segunda Guerra Mundial. Hoje é o dia da vitória contra o novo coronavírus (Vaccine Day).
A vacina produzida pela Pfizer/BioNTech está sendo distribuída em 70 hospitais, inicialmente, para pessoas com mais de 80 anos e profissionais que trabalham nos asilos e na saúde. Nada mais justo do que começar pelos trabalhadores da linha de frente, que estão há meses em contato com o risco de contágio, e atender os mais fragilizados pelo tempo de vida. Margaret Keenan, 90 anos, teve o privilégio de ser a primeira. Ela foi vacinada no Hospital Universitário de Coventry, e disse: “Se posso injetar isso aos 90 anos, qualquer um pode”. Para Margaret, que completará 91 na semana que vem, foi o “melhor presente de aniversário antecipado”
É o que todos nós aguardamos, independente da idade. Estamos com as mangas arregaçadas à espera do nosso presente de aniversário porque a pressão da sociedade já começa a dar resultado. O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), que antes esperava pelo plano de vacinação do governo Bolsonaro, hoje diz que entrou em contato com o Instituto Butantan, de São Paulo, para comprar a Coronavac, vacina que está sendo produzida em parceria com o laboratório chinês Sinovac. O presidente da Câmara de Deputados, Rodrigo Maia, derrotado na sua vontade de se reeleger, hoje diz que se o governo federal não fizer, o Congresso vai estabelecer um plano de vacinação em massa dos brasileiros. O Ministério da Saúde, por sua vez, depois de dizer que não, recuou e, hoje admite que deve assinar nesta semana a intenção de compra de 70 milhões de doses da vacina produzida pela Pfizer e pela Biontech. Portanto, vamos seguir pressionando, do contrário nada acontece nesse país. Que venha logo o “V-Day” verde-amarelo!

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *