DF – Morador de Brasília aparece em novo vídeo de assédio a mulheres russas

Episódio foi exposto pela própria mulher, a correspondente do portal iG na Copa do Mundo, Barbara Gerneza
Não foi o primeiro, mas a gente espera que, pelo menos, tenha sido o último. Mais um caso de homens brasileiros cercando mulheres russas e cantando músicas com palavras de baixo calão foi registrado. Dessa vez, o episódio foi exposto pela própria mulher, a correspondente do portal iG na Copa do Mundo, Barbara Gerneza. E um morador de Brasília foi identificado no grupo de homens.
Na gravação, feita por Barbara, um grupo de 14 homens aparece cantando uma música sobre sexo oral — que, inclusive, ficou popular no Brasil no carnaval deste ano. Depois, um deles força um beijo na russa.
Barbara expôs seu incômodo com a situação em um outro vídeo. Nele, a jornalista russa — que morou em São Paulo por cinco meses e que, por isso, entende e fala português (apesar de não ser fluente) —, conta que encontrou o grupo enquanto preparava um material sobre torcedores brasileiros. “Fiquei tão ansiosa como blogueira para gravar isso, porque não é todo dia que 14 brasileiros cantam para você”, lembra.
A russa disse que, por conhecer a cultura brasileira, não se incomodou tanto com a música, mas que, quem nunca teve contato com os brasileiros, poderia ter ficado ofendido. O maior problema para ela foi o beijo à força. “O cara queria beijar meu rosto e amigos dele me cercaram. Não foi legal, até porque eu tive medo por estar sozinha. Eu era mulher e eles 14 homens. Acho que essa situação não deveria acontecer com ninguém”, dispara.
Morador de Brasília entre os participantes
Um dos homens que aparece cantando ao lado da russa foi identificado como Sandy Assis de Andrade. Sandy — que não é o homem que tenta beijar a mulher à força — é morador de Brasília e trabalha no Conselho Federal de Enfermagem (Cofen). Procurado pela reportagem, o Cofen afirmou que “abomina e repudia qualquer tipo de discriminação e desrespeito” e que tomará as medidas cabíveis para apurar a conduta do servidor, que está de férias.
A reportagem não conseguiu contato com Sandy. O perfil dele no Facebook — que estava disponível até a noite de quinta-feira (22/6) — havia sido excluído nesta sexta.
Confira a nota do Cofen na íntegra:
“Confirmamos a identidade do empregado público Sandy Assis de Andrade, agente mecanógrafo deste Conselho Federal de Enfermagem (Cofen).
 
O Cofen esclarece que abomina e repudia qualquer tipo de discriminação e desrespeito. 
 
Quanto ao envolvimento do servidor, informamos que o mesmo encontra-se de férias. Providências cabíveis serão adotadas para apuração da conduta.”
*Com informações do Correio Braziliense

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *