Líderes da Igreja Universal são indiciados por lavagem de dinheiro e associação criminosa em Angola

Quatro líderes da Igreja Universal do Reino de Deus – entre eles o bispo Honorilton Gonçalves, ex-homem forte da TV Record no Brasil e pessoa de confiança do bispo Edir Macedo – foram acusados e indiciados pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) de Angola por lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Por DCO/UOL
Compartilhado por
Central de Jornalismo
11 de maio de 2021

Figuram como réus “não presos” no processo-crime, além de Gonçalves, o bispo angolano Antonio Pedro Correia da Silva, ex-presidente da igreja no país, e os pastores Valdir de Sousa dos Santos e Fernando Henriques Teixeira, ambos brasileiros. Teixeira é ex-diretor da TV Record África.

O UOL questionou na manhã desta segunda-feira (10) a assessoria de imprensa da Universal sobre os indiciamentos, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem. Se houver resposta, o posicionamento será incluído.

A Record teve suas atividades suspensas em Angola no dia 19 de abril, e a razão apontada foi o fato de a emissora ser dirigida no país por um estrangeiro – o próprio Fernando Teixeira -, quando a lei local exige que a função seja exercida por um angolano.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *