É coisa de direita ou de esquerda teorias conspiratórias?

Por Grace Maya
Central de Jornalismo
07 de junho de 2021

Acho legal quando meus amigos me oferecem temas pros meus artigos lunares, é muito fofo isso,né, assim vejo que não estou sozinha! Bom, o fato é que eu sempre fico com as sugestões picando na cabeça e, de uma forma ou outra, me inspiram a conectar os fatos mais famosos da semana com o que eu ando pensando enquanto lavo a roupa.

Conversando com um amigo essa semana, ele me deu a ideia de falar sobre teorias conspiratórias conhecidas, eu, que em minha adolescência desfrutei muito do meu primeiro contato com a internet justamente pesquisando essas coisas, confesso que fiquei reticente ao escutar a sugestão.

Me lembro de buscar tudo sobre maçons, mórmons, iluminatis, cabala, etc, fazia resumos e tudo, nerd né, e com o tempo fui me acostumando com esse assunto e meus amigos me conhecendo por conhecer dessas coisas, mas mesmo assim, pensei que seria muito difícil falar sobre esse tema.

Por que se tornou tão difícil falar sobre teorias conspiratórias? Ué gente, a verdade é que hoje em dia, falar publicamente de qualquer coisa é muito difícil, o risco de ser mal entendida e a ameaça do tal do cancelamento, faz com que se pense dez vezes antes de abrir a boca, né? Ou não? Enquanto digo isso você deve estar pensando em tantas das asneiras que se falam publicamente, pois é, eu é que sinto isso,né, em geral, hoje tem gente pra defender até que a Terra plana, vai entender esse trem chamado de humano !?

Mas vamos lá, vou aceitar o desafio, vamos especular e ver o que podemos encontrar nesse assunto que vale à pena ressaltar!
Podemos começar com esse tema do cancelamento mesmo! Por que é um problema? O problema é que eu não quero ser cancelada indevidamente, se for devido, de boa, eu não me importaria, eu quero manter minha liberdade de discurso, e não vou me deixar censurar pelos inimigos, é óbvio, nem faz sentido,né, então aqui temos o primeiro problema:

O que eu percebo quando começo a escrever certos temas é que tenho dificuldade de saber a posição da esquerda no assunto, nem sempre é claro, tem hora que não dá pra saber quem é direita e quem é esquerda, dependendo do tema, tipo religião e partidos, é bagacera, e o tema de teorias de conspiração é um dos mais difíceis.

O problema não é dizer se existe ou não existe! essa é uma resposta que fica irrelevante no meio da treta que se arma! Então, e se vamos a fundo nesse problema?

Eu achava, quando era adoslecente, que saber sobre teorias de conspiração era algo subversivo, era como descobrir um super segredo, era desvendar a matrix, me sentia o próprio Neo vendo os números verdes caindo no fundo negro! Eureka gritava pelas ruas! Saber dessas coisas era coisa de quem buscava uma explicação para tanta guerra, violência, pobreza…essas coisas de gente de esquerda, de quem sonha com a paz mundial, de quem acha possível acabar com pobreza do mundo, era coisa de quem escutava rock, de quem bebia cerveja no boteco e de quem fumava maconha também. Era muito cool e era intelectual! Eu me sentia orgulhosa do meu notável saber sobre coisas ocultas! Ai gente, eu era altamente idealista e delirante, aquariana a full, mas a vida foi me tirando isso, por sorte, ou por azar…
Daí, pensando melhor, me lembro que até mesmo minhas lembranças são equivocadas, sabe por que? Me lembrei que na verdade a época que mais estudei esses temas, não foi na época que fumava maconha e sim na época que eu era crente! Ai meu deusu, como pode ser? Vejamos que mesmo na minha própria vida o tema se mistura.

Hoje quando vejo essas pessoas na televisão gritando teorias conspiratórias, vestidas de verde amarelo, com a cara cheia de botox, eu olho e falo: mas como é que uma pessoa dessas está falando de conspirações, oxente, como assim?
Pois é, o tema de quem conspira aqui também se torna irrelevante, o mais importante aqui é perceber o uso de teorias conspiratórias como um saber. E esse saber, está baseado na necessidade de afirmar que há um inimigo, um inimigo que precisa ser determinado, encontrado e exterminado, e por isso precisamos conhecer bem sua cara e modus operandis, precisamos de uma representação.

O problema da representação, já falamos outras vezes, é crucial para entender o liberalismo e suas correntes mais extremas como o facismo e o nazismo. A direita, e com eles, a igreja claro, sempre precisou colocar uma cara no inimigo, minimamente é o demônio, mas o demônio pode ser o comunismo, os judeos ou qualquer das coisas relacionadas com a esquerda.

Em outras palavras, se eu considero uma conspiração, por exemplo a mais famosa, os illuminatis, o fato de ser um inimigo com cara faz com que, tanto a esquerda, como a direita possa usar eles como inimigos. Aqui está uma grande falha da esquerda, caros camaradas, o problema de usar o mesmo tipo de lógica e o mesmo tipo de discurso da direita para ir contra a direita, nos levou ao que vemos hoje: um cambalacho de absurdos, e afirmações quaisquer, vinda de médicos, cientistas, artistas e qualquer um que tiver vontade de falar qualquer asneira, como a terra é plana, a vacina do Bill Gates sei lá o que, enfim.
O problema é que dentro da esquerda o discurso religioso ainda é muito forte e crença que existe uma verdade, “A” verdade com maiúscula, ou ainda a crença que é possível chegar Nela, ou seja, o neoplatonismo e suas derivações como niilismo estão por toda parte do discurso e aí fica difícil,mermão!! Não sei como eu não fui cancelada até agora, mas vou dizer de novo, porque realmente não dá para chegarmos a essa altura do campeonato, em pleno século 21, com tanta informação disponível, e ainda ter gente de esquerda defendendo a igreja. Não é uma questão de liberdade de crença, sorry, é um rasgo fascista que a esquerda não quer assumir.

Eu sei que é muito grave pra maioria das pessoas dizer que não deveriam ter esse tipo de fé, mas não faz sentido lutar contra o nazismo e fechar os olhos pras atrocidades geradas pelas igrejas, essa incoerência é fatal, é igual ser de direita e pior porque não podemos lutar contra os nossos. Problema sério! Mas voltamos…

Essa semana ficaram discutidno o tema da Médica japonesa e da Juliana Paz, meu deusu, como pode ser que estejamos em meio do holocausto discutindo nesse nível. Afe! preguiça, pera que tenho que tomar um vinho pra terminar esse texto!
Aqui temos um outro problema, que é o mesmo, mas com outra cara, a ciência e suas verdades. O liberalismo tem tipo duas cabeças, uma é a religião e outra é o racionalismo, parecem ser opostas, mas não, a junção das duas dá o caldo que chamamos de neoliberalismo!
O nazismo, diferente do que se pode pensar à primeira vista, é uma expressão do racionalismo, obviamente é o racionalismo em seu limite mor, querer matar milhões de pessoas e querer fazer isso de forma lucrativa, é a típica do capitalismo, mas fazer montanhas de cabelos de gente e sabão com gordura humana, nem os capitalistas suportam. Por que isso é importante pensar? O racionalismo e suas outras expressões, como o objetivismo e o positivismo, são todos baseados na ciência.
A ciência, irmãos, a ciência é um assunto complicado, a ciência que em tese teria a finalidade de resolver os trem tudo, de nos livrar dos absurdos estúpidos, do grotesco, da animalidade, na verdade foi a grande fiadora das maiores atrocidades cometidas pelo liberalismo.

Não estou dizendo que sou contrária a ciência, até gosto, mas aqui estou tentando chegar ao ponto de que hoje, vivemos a mescla de teoria da conspiração+ciência na pele, e com o tema das vacinas chega ao apogeu da insanidade.
De repente, temos todos discutindo sobre vacina como se fossem todos excelentes alunos de biologia no mínimo, todos opinam sobre vacinas, discutem na mesa de bar, vão ao cabeleireiro e discutem vacinas, vão ao mercado e discutem vacinas, tomam banho discutindo vacina… aí! Chega a Dra. Japonesa falando atrocidades e a esquerda surta! Mas menin! As palavras, como dizia Umberto Eco, as palavras que são usadas para mentir, são as mesmas para falar a verdade, então, como podemos afirmar que a japonesa está errada, se coloca no lugar de uma pessoa de direita! Deixa rolar a sonoridade que está dentro de você! Pensa: É médica! Pronto! Só ser cientista não deveria ser suficiente? Aqui eu poderia entrar com todo o tema das conspirações da indústria farmacêutica, o tema das vacinas, o tema do que faz ou não faz bem à saúde, a indústria alimentícia, e aí vai, tudo que vivemos hoje por ser objeto de alguma conspiração. Mas como podemos, nós gente normal, saber se a dra! num tá certa? Me diz!

A ciência, o método, como dizia o René, leva à verdade? O mito da ciência salvadora, a ciência que ocupa o lugar do Jesus, é um tema problemático, mas ele só é problemático quando se pressupõe que existe uma verdade. E é um problema porque não é importante saber se existe ou não existe, e nem o tema dizer que a ciência ou Jesus é bom ou mal, ou saber quem disse e quem não disse! Gente, não é pra dizer essas coisas de bom e mal, de verdade ou mentira, não existe isso! Basta, a esquerda tem de parar com isso!

O tema das conspirações vai incidir no meio desse dilema, o oculto a ser revelado, seja pela ciência, seja pela iluminação, é um caminho que alguém vai te querer vender na esquina, o capitalismo que não está oculto, as grandes corporações que não estão ocultas, vão te vender soluções mágicas para conhecer o oculto e vendem pra qualquer um, seja você de direita ou de esquerda, entende? Aqui encontramos outro problema!
E a ciência não deveria chegar a conhecer tudo? Essa é uma crença mais temerária que a própria religião. O tal do Comte, o pai do positivismo, postulava que a ciência iria acabar com a religião e a superstição e assim deveria ser revelada “ A Verdade”. Como resultado do progresso, o misticismo deveria acabar e a ciência deveria poder saber e controlar tudo, e construir um saber sobre tudo. Conhecer todos os elementos da natureza para entender tudo que existe, o positivismo pretendia até mesmo dominar a morte! Bueno, bueno, vemos que tudo isso vai ser difícil caro Comte, a ciência não consegue nem resolver uma gripe, e pior, as pessoas estão mais místicas que nunca!

A natureza tem muito de oculto, nunca vamos conhecer tudo, há todo um universo oculto que nunca será conhecido, então porque inventar o oculto?
Parêntesis: Me lembrei de um livro que li, que dizia que uma das possíveis realidades pós morte, seria um lugar onde tudo seria a igreja de Mary Shelley, (risos),realmente é uma ideia genial de paraíso, ela soube ver o absurdo de tudo isso que era postulado na época, e, o Frankenstein, esse monstro científico, mostra como tudo escapa à ciência, e demonstra em sua obra como o progresso seria incontrolável como tudo. Gênia total!
Mas então, do que estávamos falando? Ah, queria voltar no negócio de historinhas e representação. Aqui entra: o realismo! Essa corrente estética é uma das patas do racionalismo, se pretende com essa estética se aproximar ao real, condiz com postulados positivistas. Aqui eu podia voltar ao tema do cinema de Hollywood, essa merda toda, mas já falei disso, leiam o post sobre o Oscar!
Okay, com o tema do realismo, podemos ver como foi tudo ao caralho! Me lembrei de outro tema que um outro amigo me trouxe essa semana, o tema da facada! Conspiração pra dar com o pé! Imagino o futuro com os seguidores da Igreja da Facada, o guru vai ser Adélio com uma foto grande e auréola e tudo, e a frase em aramaico abaixo: antes um louco, agora um salvador! Gente pára tudo! Alguém me diz: em que país ou época da humanidade aquela facada foi realista? Esse povo viu muito desenho animado e não viram Chaves, or what? Afe, agora me diz, eles não podiam ter contratado alguém de Hollywood? Ou poderiam ter contratado alguém da Globo? Sei lá, podiam ter comprado ketchup, esmalte na esquina…? Sei lá! Por que, meu deusu, por que fizeram tão mal feito, gente do céu? Não entendo! É pra fuder com esquerda mesmo! Nóis pira mesmo! Os eleitores do Bozo realmente se humilharam para eleger o mito, tão de boa, é muita carência, dá pena, mas a facada nos causa ódio, é muita audácia mesmo! Pensa você estar tão desesperado que precisa acreditar nessa facada, nam…mas pensa em ter que viver em um país desse, nammm….
Espera, vou tomar mais um vinho pra seguir, por que tudo isso é muito explode coração! Num guento!
Eu sinceramente, só me dei conta que a galera estava meio surtada nível master, quando veio o tema da facada, era tão nitidamente falsa, que o simples fato de discutir isso me causava náuseas! Me lembro das minhas aulas de cinema, discutir se esse péssimo efeito especial era verdade já é too much. Nem filme trash dos 80 tem uma estética tão anti-realista como a facada que elegeu o presidente de um dos países mais poderosos do fucking planeta terra!! Aqui te pergunto: será que estamos vivos, será que nossa vida é real ou estamos preso em alguma dimensão trash? Okay, respira, não sejamos niilistas, seguimos!
A lógica causal é a base de nossa vida. Tudo que vivemos tentamos explicar pela lógica racionalista da causalidade. Okay, safa bastante usar ela, mas mesmo um cientista, se é honesto, vai saber que, apesar de estarmos tão acostumados e tão presos a essa ideia de sentido, essa lógica não é uma verdade absoluta. Então precisamos entender que a causalidade que propõe a religião para explicar tudo, a proposta da ciência de explicar tudo, a necessidade de explicar tudo com uma historinha, que tem o bom e o mal, o amigo e o inimigo, a verdade que precisa ser buscada, revelada, encontrada, comprada, tudo isso é o mesmo negócio,entende? Então não importa se você é direita ou se esquerda, se te parece um horror, se não verossímil, porque não adianta discutir com uma pessoa se algo é real, se existe, se foi assim e se foi assado, se existe paraíso, demônio, facada, pecado, inferno, não adianta, todas as palavras estão manchadas de sangue, precisamos mudar nossa forma de abordagem.
O desejo de ordem, de explicações impregna nossa sociedade, e aqui, chegamos como humanidade, chegamos a esse momento, onde por mais que a esquerda tente explicar e junte milhões de provas contra todo o discurso de direita, o problema está justamente aí, o discurso não o antídoto, a única forma seria uma grande reforma filosofica na esquerda baseada nos afetos, menos palavras, menos crenças e mais ação!
E eu sei que não pensar a esquerda como uma inimiga é difícil mesmo, seria muito mais fácil dizer que deveríamos matar todas essas pessoas! Sim, eu tenho muita vontade de dizer isso, mas vejo que caio no mesmo problema, o discurso de ódio é o discurso da direita, então camaradas, vai ser difícil, mas temos a missão de encontrar uma outra forma de lutar porque estamos perdendo.
Vamos seguir lutando essa luta perdida e esperar por milagres? Sim, pode ser que o Lula volte, pode ser que dê uma melhorada em algumas coisas, mas a tendência do planeta infelizmente é uma tendência neoliberal e não há nada de secreto nisso! Para não colaborar com essa tendência há de aprendermos a sermos impensavelmente subversivos!

O amor incondicional é o poder mais subversivo que podemos pensar! Precisamos amar a direita! Sim, é horrível, nem sei como fazer, odeio esse nazis, eles mataram nossos amigos, nossos poetas, nossos familiares, mas é a única solução gente! É difícil mesmo, mas quem disse que ia ser fácil ?
Grace Maya
Buenos Aires, junho 2021
Foto: Ramiro Antico
Veste: Basura – Fashionart

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *