Em tempos de pandemia médicos experientes assumem o comando de Macapá e Santana no Amapá

Por uma feliz e oportuna coincidência as duas maiores cidades do estado do Amapá sempre as voltas com problemas graves na saúde pública agora esperam melhorias efetivas no setor por conta do perfil de seus novos gestores.

O Dr. Antônio Furlan (CIDADANIA) e o colega também médico Bala Rocha( PP) tomaram posse no último dia 1º de janeiro como prefeito da capital Macapá e de Santana na região metropolitanada capital respectivamente em plena fase no crescimento de novos casos da pandemia da covid-19 com a chegada temida da variação do vírus já apelidado de “COVID 20”. Ao assumirem os governos municipais das dos maiores municípios do Amapá, como profissionais de saúde por formação e especialização em saúde pública os mesmos passam a concentrar expectativas de que poderão tirar essas populações da indigência no atendimento de qualidade mínima negligenciado totalmente nos últimos anos em termos estruturais, demanda e ampliação na cobertura das especialidades da medicina atual, como por exemplo no aspecto relacionado ao combate da COVID pandemia que teima em não ir embora. Macapá e Santana localizadas no coração da Amazônia brasileira enfrentam também surtos permanentes das chamadas doenças tropicais como a malária (febre amarela) e muitas outras em consequência da falta de saneamento e a dificuldade de se buscar atendimento médico especializado com urgência .
O Prefeito Antônio Furlan, propôs durante a campanha e agora reafirma que vai liderar uma revolução na área da saúde na capital do Amapá melhorando o que for necessário, buscando ao mesmo tempo parcerias estratégicas com a medicina privada, Institutos e organizações sociais para dar qualidade ao setor que representa uma das principais metas da atual gestão. Pensando no benéficio geral que a boa saúde proporciona aos cidadãos o gestor de Santana, ex deputado federal Bala Rocha afirma que irá caminhar na mesma direção do colega na capital considerando que por estar estarem muito próximas o que acontece em Macapá ou no seu município tem imediato reflexo regional e em todo estado, principalmente em cidades menores, onde por falta de estrutura seus moradores acabam sendo obrigados a recorrer a essas duas cidades com melhores equipamentos e profissionais, porém sempre sobrecarregadas com demandas acima de sua capacidade projetada. Nessa semana, nos dia 14 e 15 numa demonstração prática de preocupação como médicos e prefeitos, ambos vão em São Paulo para viabilizar a aquisição de lote especial de vacinas anti-Covid para imunização emergencial de profissionais que estão trabalhando na linha de frente no combate ao CORONAVÍRUS em unidades de atendimento sob responsabilidade das prefeituras.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *