PDT quer Ciro Gomes liderando frente ampla de centro-esquerda em 2022

Presidente nacional do partido, Carlos Lupi, se reuniu com o prefeito Alexandre Kalil (PSD-BH) nesta quinta-feira para costurar aliança

Por O DIA
Compartilhado por
Central de Jornalismo
12 de fevereiro de 2021

São Paulo – O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, disse nesta quinta-feira que o partido trabalha para que Ciro Gomes seja o candidato de uma frente ampla de centro-esquerda em 2022.
O pedetista se reuniu com o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), nesta quinta. Lupi disse que vem ampliando conversas com diversos partidos e que Ciro representará a legenda na próxima eleição.
“Temos tido boas conversas com o PSB, com a Rede e com o PV. Tenho um diálogo permanente com o Kassab que é o presidente nacional do PSD, partido que o Kalil pertence, e o nosso desejo e nossa vontade é formar uma grande aliança de centro esquerda que representa o projeto de Brasil e na nossa opinião quem encarnar melhor essa capacidade é o Ciro Gomes”, afirmou Lupi.
INDICADAS PARA VOCÊ

Ciro Gomes não acredita em eleição de bolsonaristas explícitos
Ciro Gomes não acredita em eleição de bolsonaristas explícitos
Possibilidade de golpe de Bolsonaro em 2022 é real, alertam especialistas
Possibilidade de golpe de Bolsonaro em 2022 é real, alertam especialistas
Ciro Gomes solta o verbo sobre Arthur Lira: ‘outro Eduardo Cunha’
Ciro Gomes solta o verbo sobre Arthur Lira: ‘outro Eduardo Cunha’
O presidente nacional do PDT desconversou ao ser perguntado sobre a participação do Partido dos Trabalhadores (PT) em uma eventual formação de aliança — no último dia 6, o PT lançou Fernando Haddad como pré-candidato ao pleito.
“Temos que buscar alianças de centro esquerda, no primeiro ou segundo turno, mas isso é final de conversa e não começo.”
“Devemos pensar sempre em programas de governo, nosso candidato Ciro Gomes, apresentou desde 2018 um projeto nacional desenvolvimentista, inclusive fez um livro sobre isto e estamos andando o Brasil com este programa, até agora não vi nenhum candidato apresentar”, continuou.
Sobre o partido de Kalil ser da base aliada do presidente Bolsonaro (sem partido) no Congresso, Lupi disse que “apoio não se discute, se aceita”.
“Em primeiro lugar quem conhece o Kalil como eu conheço sabe que ele não é da base do Bolsonaro e eu não tenho dúvida da sua posição de independência ao governo. O PSD é um partido autônomo, ele não tem uma posição de apoio ao governo Bolsonaro, ele tem uma posição de

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *