Diário da Pandemia-Yankee comes here. Que venha a OMS

Por Caco Schmitt

Jornalista, roteirista e diretor. Trabalhou na TV Cultura/SP como diretor e chefe da pauta do jornalismo; diretor na Agência Carta Maior/SP e na Produtora Argumento/SP. Editor de texto no Fantástico, TV Globo/SP. Repórter em vários jornais de Porto Alegre, São Paulo e Brasília.

Dia 352

Na juventude, enchia a boca pra gritar a pleno pulmões: “Yankee go home!” Em qualquer passeata, manifestação do movimento estudantil, vez por outra surgia o coro da massa. Os governos imperialistas dos Estados Unidos se metiam em tudo, articulavam golpes nos países que elegiam governantes socialistas ou cuja população se rebelava contra os militares golpistas, normalmente colocados com ajuda do yankke mor, Tio Sam, aquele velho de barbicacho e cartola com uma estrela branca na testa. Não houve um golpe militar na América Latina sem a participação dele. Centenas de militares foram treinados por seus especialistas em tortura, e muitos foram depois idolatrados por seres como o atual presidente do Brasil, discípulo do Brilhante Ustra, coronel do Exército brasileiro condenado por tortura. Por tudo isso, e mais as tradicionais e odiosas interferências na economia, nas relações trabalhistas, gritávamos sempre: “Yankke, go home!”

Hoje, depois de um ano de tragédia no Brasil, com 262.948 mortes e 10,8 milhões de pessoas contaminadas (quando sabemos que o número é pelo menos três vezes maior), finalmente a Organização Mundial da Saúde resolveu alertar. O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, disse que o Brasil pode colocar em risco países vizinhos da América Latina, e que tem que levar a crise a sério. Respondo: “Seu Tedros, não vai levar nunca”. E aviso, não colocará em risco a América Latina e sim todo o planeta. Um terço dos brasileiros apoia esse presidente, torturador confesso, que não se importa com a mortandade porque faz parte da sua ignóbil natureza. Será necessária uma intervenção! E se houver, lá estarei gritando a pleno pulmões: Yankke, comes here!
O governo norte-americano, depois que a maioria da população se livrou do demônio que usurpava a presidência, retornou à OMS. O presidente Biden, por mais que não seja confiável nas questões geopolíticas e econômicas, mudou o rumo da pandemia nos Estados Unidos, vacina dois milhões de americanos por dia e reduz os números de mortes e de novas infecções. Então, venha com suas vacinas. Por favor, nos ajudem a neutralizar esse catalizador da tragédia chamado Bolsonaro, nos ajudem a controlar essa pandemia assustadora, porque essa tragédia, sem controle, é uma bomba atômica que pode atingir todo o planeta!

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *