Os construtores de Brasília-A história de Josibel Rocha

Quem acredita sempre alcança

Por ele mesmo, Josibel Rocha
Para Central de Jornalismo
23 de janeiro de 2021

Hoje completo quarenta anos de trabalho quando tinha 14 anos idade, exatos 99 dias depois do aniversário dia 14 de outubro, era um menino tímido do cafundó do Maranhão morando há três anos na cidade da Esplanada, dos eixos com pistas largas, longas, grama verde, o Plano Piloto arborizado, prédios com buracos e quadras residências idênticas que causavam confusão na localização, números substituiam os endereços com nomes que tinham nas outras cidades brasileiras.

Meu primeiro dia trabalho com uniforme todo azul, sapato preto, que os Boys denominação do aprendiz da instituição financeira naquela época usavam, suava bicas de águas no corpo, coração acelerado, voz quase muda conheceu o mundo com pessoas que usavam ternos, gravatas, bateria de caixa, abertura de contas, compensação, cheques, carimbos, almoxarifado, cofre e muita gente no dia pagamento dos clientes daquela agência bancária.

Uma longa trajetória vivi durante 40 anos de trabalho, várias experiências profissionais fizeram parte da minha vida laboral, bons momentos, maus momentos, bati na boca do poço fundo, um concurso público foi o resgate para estabilidade profissional e alguns trocados suficientes que garantem os pagamentos dos meus boletos em dia e ainda sobram para sorver algumas cervejas geladas.

Com 54 anos de idade me sinto amadurecido profissionalmente, um adulto no auge da vida, bem diferente daquele menino tímido que superou pedras, montanhas e rios de correntezas fortes.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *