Diário da Quarentena-Só a juventude é culpada pelas aglomerações?

Por Caco Schmitt

Jornalista, roteirista e diretor. Trabalhou na TV Cultura/SP como diretor e chefe da pauta do jornalismo; diretor na Agência Carta Maior/SP e na Produtora Argumento/SP. Editor de texto no Fantástico, TV Globo/SP. Repórter em vários jornais de Porto Alegre, São Paulo e Brasília.

Dia 332

É mais simples por a culpa só na juventude pelas últimas e chocantes aglomerações carnavalescas. A galera tem culpa, sim, mas como perguntava o velho comediante: “e os outros?” A grande rede de culpados fica quietinha e torce pra que essa jovem massa de manobra siga desafiando as proibições que eles fingem acatar. Essa rede de culpados começa pelo presidente da república que desde o começo mandou todos à rua, e agora diz pra não chorar e tocar a vida! Assim sendo: vamos beber! A rede segue pelos governos (estaduais e municipais) que por interesses políticos, omissões covardes e outros estímulos, cedem a pressões e fingem que tomam decisões para conter o contágio. Fogem de um lockdow como gato da água, abrem e fecham como porta de saloon. No Rio permitem o funcionamento de boates, com álcool liberado, mas sem dança na pista… Ora! Nas praias gaúchas, autoridades fecham o mar para os adeptos de Iemanjá, mas liberam as areias para a galera no carnaval…
Culpem também as associações comerciais, os diretores lojistas que sempre pregaram a abertura a qualquer preço, colocando o lucro acima da vida. Eles dizem que tomam todos os cuidados, mas colocam uma gotinha de álcool em gel na porta e deu pra bola! E não se importam se seus funcionários chegam pra trabalhar depois de viajarem apertados em trens e ônibus infectos. Culpem os empresários (e gestores públicos) do setor de transportes de gado, digo, passageiros, por promoverem aglomerações maiores que a dos bares da zona sul do Rio e da boêmia Vila Madalena, em São Paulo. Adianta ficar afastado socialmente em guarda-sóis na orla e andar aglomerado em um BRT carioca?
Culpem também a imprensa que há tempos se tornou cúmplice de morte, por tirar a covid-19 das manchetes e defender interesses de seus patrocinadores. Se a ocupação das UTIs baixa uma vaga, é notícia; se aumenta em dezenas… silêncio ou nota de pé de página. A mídia alardeia nas páginas e nas ondas de rádio falsa sensação de normalidade: viaje no carnaval, hospede-se em hotéis, compre, consuma, não deixe de passar no shopping, bom veraneio, mas tomem todos os cuidados sanitários… Isso é um convite para aglomerações. A juventude, em sua rebeldia irresponsável, vai além: viaja, vai à praia, consome para o comércio não quebrar… mas se aglomera, bem aglomeradinho! Existe culpa? Sim, mas culpem também a postura de governos, da mídia, das lideranças empresariais. A juventude irresponsável se aglomera em lugares públicos, nas praias, bares e calçadas, já essa outra rede de culpados segue em aglomerações mais reservadas, mas com todos os cuidados…
foto: G1

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *