‘Discurso de Biden é uma guinada à esquerda’, avalia analista

Para o analista, além da economia e do campo social, o discurso pode ser visto também como uma tentativa de romper vários tabus nos EUA

Sinara Peixoto, da CNN
Compartilhado por
Central de Jornalismo
29 de abril de 2021

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, discursou diante do Congresso norte-americano na quarta-feira (28), véspera de completar 100 dias na Casa Branca. Para o analista de política internacional da CNN Lourival Sant’Anna, durante os 70 minutos em que falou o democrata apresentou um discurso que pode ser interpretado como uma “guinada à esquerda”.

“Ele falou que os Estados Unidos estão enfrentando a maior crise econômica desde a Grande Depressão, exatamente para ter essa referência, exatamente para ter essa licença – que só se teve há quase um século nos EUA – de apresentar um plano tão robusto, que traz tanto endividamento, tanto aumento de impostos. É algo contraintuitivo para os norte-americanos”, analisou Sant’Anna.

Leia mais
Biden faz primeiro pronunciamento ao Congresso dos Estados Unidos; veja fotos
No Congresso, Biden afirma que vai aumentar salário mínimo dos EUA
Pela 1ª vez, presidente dos EUA discursa com duas mulheres à frente do Congresso
Para o analista, além da economia e do campo social, o discurso pode ser visto também como uma tentativa de romper vários tabus nos EUA, como o da 2ª emenda da Constituição do país, que fala da questão do controle de armas. “Ele associou isso ao terrorismo e à violência contra a mulher”.

A visão de Biden sobre a saúde foi outro ponto que avançou em relação ao tom usado na campanha à Presidência em 2020. “Ele falou que a saúde é direito de todos, não um privilégio. Essa não é uma visão predominante nos EUA. Na própria campanha, ele não foi tão longe assim”, lembra Sant’Anna.

Segundo o analista, o momento mais emblemático do discurso foi quando o presidente norte-americano falou sobre a intenção de expandir de 12 para 16 anos o tempo de educação livre e gratuita no país.

“Ele associou isso à competitividade dos Estados Unidos na disputa com a China. Naquele momento, Elizabeth Warren, senadora de esquerda, que disputou com ele as primárias, levantou o punho em sinal de vitória. Acho que essa é a imagem mais simbólica desse discurso do Joe Biden. É um discurso de esquerda, diferente da campanha que ele fez. E os mais conservadores, entre os democratas eleitores dele, poderiam até acusá-lo de traí-los nessa questão. É uma guinada para a esquerda esse discurso”, conclui o analista.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *