CoronaVac diminuiu em 95% o número de óbitos em Serrana (SP)

A aplicação da CoronaVac, vacina do Instituto Butantan, produzida em parceria com o laboratório chinês Sinovac, em toda a população de Serrana, no interior de São Paulo, diminuiu em 95% a quantidade de óbitos na região, em 80% os casos sintomáticos e em 85% as internações. Em números absolutos, a quantidade de casos saiu de 699 em março para 251 em abril; e de óbitos, de 20 para 6, no mesmo período.

Por Brasil de Fato
Compartilhado por
Central de Jornalismo
31 de maio de 2021

Ainda de acordo com a pesquisa, o controle da pandemia no município foi possível somente quando 75% elegível estava vacinada, indicando que este é o mesmo percentual que o Brasil precisa vacinar para conter o avanço do novo coronavírus. Atualmente, apenas pouco mais de 10% de toda a população recebeu as duas doses de vacina.

No total, a pesquisa, que será divulgada oficialmente nesta segunda-feira (31), acompanhou 27.160 mil habitantes acima de 18 anos que receberam as duas doses da CoronaVac.

Bolsonaro poderia ter evitado 80 mil mortes apenas com a CoronaVac :

OMS analisa CoronaVac

O laboratório Sinovac enviou os dados para a solicitação de uso emergencial da CoronaVac à Organização Mundial da Saúde (OMS), que deve emitir um parecer se recomenda ou não o imunizante até a próxima quarta-feira (2). 

O parecer da OMS é decisivo para alguns países que não têm agências reguladoras, como a Anvisa, e precisam da recomendação da OMS para aplicar certos imunizantes. Se recomendada pela organização, a CoronaVac passará a integrar o consórcio Covax Facility, que distribui imunizantes aos países mais pobres. 

Até o momento, a OMS já autorizou o uso emergencial dos seguintes imunizantes: Pfizer/BioNTech; Johnson & Johnson; Oxford/Astrazeneca; Moderna; e Sinopharm. 

Vacinação liberada?

O Ministério da Saúde anunciou o início da imunização da população entre 18 e 59 anos, em ordem decrescente de idade. A vacinação, no entanto, irá avançar paralelamente na medida em que os grupos prioritários forem totalmente vacinados, como pessoas com comorbidades e profissionais da educação.

“De maneira concomitante, será iniciada a vacinação da população geral (18 a 59 anos), de maneira escalonada e por faixas etárias decrescentes, até o atendimento total da população brasileira acima de 18 anos”, informou o Ministério em nota técnica, divulgada na última sexta-feira (28).

“Portanto, deve-se manter a vacinação dos grupos prioritários, conforme previsto no PNI, e Estados e Municípios que não apresentam demanda ou tenham demanda diminuída para vacinação dos grupos com maior vulnerabilidade e trabalhadores de educação, poderão pactuar em Comissão Intergestores Biparte a adoção imediata da estratégia de vacinação segundo a faixa etária em ordem decrescente de idade garantindo o percentual para continuidade da vacinação dos demais grupos prioritários.”

Combinação entre AstraZeneca e Clover

O Brasil sediará o estudo que irá analisar a eficácia da combinação entre os imunizantes produzidos pela Universidade de Oxford e o laboratório britânico AstraZeneca e pela farmacêutica chinesa Sichuan Clover Biopharmaceuticals.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *