Aviões da FAB eram utilizados para tráfico internacional de drogas, segundo PF

Militar que havia sido preso com cocaína no avião oficial já havia praticado tráfico internacional em outras viagens

Google News
Por iG Último Segundo
Compartilhado por
Central de Jornalismo
31 de maio de 2021

Manoel Silva Rodrigues, sargento do Força Aérea Brasileira (FAB) que foi preso em junho de 2019 por ter traficado cocaína em um avião militar oficial, já havia praticado o mesmo crime em outras seis oportunidades. É o que indicam os dados investigados pela Polícia Federal . As informações são do portal Uol.

O inquérito inicial aponta para a participação de outros militares brasileiros e a continuidade do esquema após a prisão de Manoel.

Nas sete viagens oficiais analisadas pela PF , o sargento conversa com a mulher Wilkelane Nonato Rodrigues e indica a conclusão positiva do crime. Entre a escala São Paulo e Recife, foram realizados quatro voos. Em três oportunidades a droga foi despachada para Espanha – destino final da droga.

Manoel chega a enviar uma foto para Wilkelane com um terço em determinado momento na troca de mensagens. Segundo o Ministério Público Militar (MPM), a atitude não configura ‘ato de fé’ e sim um aviso: o militar havia tido sucesso no crime após uma missão oficial – em abril de 2019 – ao Azerbaijão, que passou pela Espanha anteriormente.

“Bolsonaro é mais perigoso do que o vírus”: atos começam por todo o Brasil
Viúva da Mega-Sena: disputa de 14 anos por herança chega ao fim
Viúva da Mega-Sena: disputa de 14 anos por herança chega ao fim
Repressão encerra ato contra Bolsonaro no Recife; vereadora do PT é agredida
Repressão encerra ato contra Bolsonaro no Recife; vereadora do PT é agredida
O órgão atesta para a participação de outros militares além de Manoel. Ao menos quatro oficiais da Aeronáutica estão sendo investigados por utilizar as aeronaves para a realização de tráfico nacional e internacional durante missões da Força Aérea Brasileira.

Ednilson Pires, promotor de Justiça Militar, argumenta que “Colocaram o Estado brasileiro, as Forças Armadas e o próprio presidente da República em posição vexatória perante a sociedade e a comunidade internacional.”

Plataforma viabiliza seu comércio online sem cobrança de comissão
Calheiros diz que receberá estudo sobre mortes que poderiam ter sido evitadas
Médico brasileiro é preso no Egito após assediar mulher
De acordo com o Superior Tribunal Militar (STM), outros envolvidos estão em liberdade através de medidas cautelares. Wilkelane foi solta dias após sua detenção e não respondeu a reportagem. O sargento Manoel foi condenado pelo Superior Tribunal da Andaluzia, na Espanha e atualmente cumpre pena em uma prisõa espanhola após confessar o crime de tráfico internacional.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *