Bomba: “FHC foi peça chave na articulação do golpe de 2016” diz o jornalista Eduardo Vasco

, 20/11/2021] Kleber Moraes:

247 – Reportagem do jornalista Eduardo Vasco, no Diário Causa Operária (DCO), revelou que a Fundação Fernando Henrique Cardoso recebe dinheiro da National Endowment for Democracy (NED), um fundo pertencente ao governo dos Estados Unidos (EUA) que financia ONGs, think tanks e movimentos pelo mundo para executar mudanças de regime.

A organização já foi acusada diversas vezes de ser uma fachada da CIA e, por isso, foi banida de países como a Rússia, enquanto a China acusa a entidade de trabalhar junto com a CIA para desestabilizar Hong Kong, e de ter fomentado os protestos de 2019 e 2020 naquela cidade. Da mesma forma, os governos de Hugo Chávez e Nicolás Maduro, na Vene…
[14:28, 20/11/2021] Kleber Moraes: Bomba: “FHC foi peça chave na articulação do golpe de 2016”, diz o jornalista Eduardo Vasco

Por Brasil 247
Compartilhado por
Central ade Jornalismo
20 de novembro de 2021

Fundação FHC recebe dinheiro da NED, entidade dos EUA para promover mudanças de regimes

247 – Reportagem do jornalista Eduardo Vasco, no Diário Causa Operária (DCO), revelou que a Fundação Fernando Henrique Cardoso recebe dinheiro da National Endowment for Democracy (NED), um fundo pertencente ao governo dos Estados Unidos (EUA) que financia ONGs, think tanks e movimentos pelo mundo para executar mudanças de regime.

A organização já foi acusada diversas vezes de ser uma fachada da CIA e, por isso, foi banida de países como a Rússia, enquanto a China acusa a entidade de trabalhar junto com a CIA para desestabilizar Hong Kong, e de ter fomentado os protestos de 2019 e 2020 naquela cidade. Da mesma forma, os governos de Hugo Chávez e Nicolás Maduro, na Venezuela, também buscaram sancionar o NED e outras ONGs.

“É vastamente documentado o papel do NED nas ‘mudanças de regime’ no leste europeu, Oriente Médio e América Latina”, escreve o jornalista.

“Muito do que fazemos hoje era feito de modo encoberto pela CIA 25 anos atrás”, disse, em 1991, o cofundador do NED, Allen Weinstein. “Seria terrível para grupos democráticos em todo o mundo serem vistos como subsidiados pela CIA. Nós vimos isso na década de 1960, e por isso foi encerrado. Nós não temos a capacidade de fazer isso [financiar diretamente pela CIA], por isso o fundo [NED] foi criado.”

Fundação FHC e NED
Vasco informa que “em sua página na Internet, o NED expõe publicamente algumas informações sobre os seus gastos pelo mundo. No Brasil, o fundo despejou dinheiro em dez projetos diferentes no ano de 2020”.

“Um desses projetos é o ‘Fura Bolha’, da Fundação Fernando Henrique Cardoso. Esse projeto recebeu 77.300,00 dólares em 2020 do NED e já havia recebido 60.000,00 dólares em 2019”, informa.

“O ‘Fura Bolha’, segundo o NED, tem o foco em promover ‘ideias e valores democráticos’. Seu objetivo: ‘promover a cultura democrática e o valor do diálogo político no Brasil. A organização vai levar adiante uma série de discussões com personalidades públicas de alto nível no Brasil com diferentes visões. Os debates serão gravados e transmitidos em meios tradicionais, e compartilhados nas redes sociais. As conversas jogarão luz sobre soluções políticas para questões proeminentes de interesse público e contrastar diferentes ideias de uma maneira construtiva e civilizada’, destaca a reportagem.

O jornalista lembra também que FHC “foi peça-chave na articulação política e na ponte entre os Estados Unidos e o Brasil para assegurar o golpe de 2016” e “tem uma história antiga com o NED e os serviços de inteligência dos EUA”.

“Em 2004, ele teve o prazer de inaugurar, na embaixada do Canadá em Washington, o Seymour Martin Lipset Palestra sobre Democracia no Mundo, um fórum criado pelo NED para a discussão da ‘democracia e o progresso pelo mundo’”, informa Vasco.

Fundação Ford
Segundo o jornalista, a relação de FHC com esse tipo de organização é antiga. “Já na década de 1960, quando ainda era um intelectual de esquerda, estudioso do marxismo, Cardoso foi financiado pela Fundação Ford, que lhe concedeu R$145 mil para criar o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), relatou a jornalista francesa Brigitte Hersant Leoni no livro ‘Fernando Henrique Cardoso: o Brasil do possível’”.

“Como foi revelado mais tarde pela escritora britânica Frances Stonor Saunders, em ‘Quem pagou a conta? A CIA na guerra fria da cultura’, a Fundação Ford sempre foi uma fachada pela qual a CIA bancava operações de maneira disfarçada”, argumenta.

A reportagem mostra que FHC até hoje é ligado à Fundação Ford. “Sua fundação é associada ao Grupo de Institutos, Fundações e Empresas (GIFE), que tem como apoiador institucional justamente a Fundação Ford, dentre outras 160 organizações associadas como a Open Society, Fundação Lemann, Fundação Roberto Marinho, SITAWI Finanças do Bem, TV Globo e uma série de bancos como Itaú, Santander e o J.P. Morgan”, reporta.

“O Conselho de Governança do GIFE é formado, por exemplo, por Adriana Barbosa (Feira Preta), Atila Roque (Fundação Ford), Gilberto Costa (JP Morgan), Mônica Pinto (Fundação Roberto Marinho) e Virgílio Viana (Fundação Amazonas Sustentável)”, aponta.

Vasco conclui que “FHC, portanto, é financiado pela CIA há mais de 50 anos. Primeiro, através da Fundação Ford; agora, através do NED”. “O NED também tem, desde 2012, uma parceria com a Fundação Fernando Henrique Cardoso para a publicação em língua portuguesa do Journal of Democracy, órgão oficial do NED fundado em 1990 e para o qual o ex-presidente já contribuiu”, lembra.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *