Já existe prova documental da tentativa de golpe nas eleições

Publicado segunda-feira, 13 de junho de 2022 as 12:37, por: CdB

Por Val Carvalho – do Rio de Janeiro

Diante de todas as pesquisas apontando a derrota de Bolsonaro para Lula, a “desconfiança nas urnas eletrônicas” surge agora como única saída golpista para se garantir a continuidade do governo fascista rejeitado pela maioria da população, mas benfeitor dos milhares de militares que ocupam cargos públicos e são cobertos por privilégios.

Não cabe mais a especulação de se Bolsonaro vai tentar dar ou não golpe nas eleições. A carta do ministro da Defesa, general Paulo Sérgio, ao TSE, auto instituindo as Forças Armadas como tutoras da eleições, é prova documental desse plano antidemocrático.

Desde que foi implantada, em 1996, somente agora é que os militares levantam suspeitas sobre as urnas eletrônicas; e nada disseram quando Bolsonaro foi eleito em 2018 usando o mesmo sistema eleitoral.

Diante de todas as pesquisas apontando a derrota de Bolsonaro para Lula, a “desconfiança nas urnas eletrônicas” surge agora como única saída golpista para se garantir a continuidade do governo fascista rejeitado pela maioria da população, mas benfeitor dos milhares de militares que ocupam cargos públicos e são cobertos por privilégios.

Trumpismo

A mesma intenção golpista teve pedido de Bolsonaro ao presidente Biden para que este o apoie contra Lula, sob o argumento lesa-pátria de que ele serve melhor aos interesses dos EUA no Brasil. No entanto, pressionado pela volta de Trump, dificilmente Biden, mesmo não gostando de Lula, apoiará a reeleição de Bolsonaro, cuja simpatia ao trumpismo sempre foi assumida.

As forças políticas já estão em movimento nessa disputa eleitoral que mais se assemelha a uma guerra. O que nos cabe nesse momento de luta aberta é fazermos a nossa parte, isto é, ampliar sem restrições ideológicas o voto antifascista em Lula visando a vitória no primeiro turno. A ampliação da frente antifascista é a resposta mais efetiva para derrotarmos o golpe de Bolsonaro.

Ele já mobiliza suas hordas fascistas para a data de 7 de Setembro buscando repetir a tentativa golpista do ano passado, que fracassou por mobilização insuficiente e falta de apoio militar.

Mas ao lado da conquista do voto em Lula, temos de defender com o mesmo afinco o voto na chapa completa, usando o argumento de fácil compreensão de que Lula vai precisar de forte base no Congresso e nos governos estaduais para conseguir realizar as mudanças que o povo necessita e o Brasil precisa para retomar seu desenvolvimento com inclusão social e soberania nacional.

Val Carvalho é articulista do Correio do Brasil.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *