Brasil, such a looser! Por Grace Maya

Por Grace Maya
Central de Jornalismo
12 de julho de 2021

Ver Post

Seguindo a onda de comentar o must da semana, hoje o assunto é futebol. Gente, eu sou da época que o ditado “religião, política e futebol não se discutem” e isso é a primeira coisa que me veio à cabeça. Foi assim, né? De fato, de tanto não se discutir, te tando aceitarmos aqueles comentários nazis saírem ilesos, de tanto aceitarmos as piadinhas racistas, de tanto aceitar comentários machistas como algo natural, de tanto aceitar a homofobia como algo de Jesus, agora vivemos uma volta a idade média, jamais imaginada por nós, os críticos de plantão! Nós, que queríamos denunciar, criticar e tomar uma atitude em função de uma esterilização desse tipo de pensamento, nos surpreendemos, afinal de contas, éramos considerados os estraga prazer das reuniões,né! Os amiguinhos nunca puderam ser contrariados em suas verdades e já faz um tempo que estavam crescendo raízes!
Como uma boa aquariana polêmica, não poderia deixar passar o tema que outrora disputava o pódio de assunto proibido! A derrota do Brasil na Copa América e tudo que ela representa no imaginário político hoje é a coisa mais interessante que aconteceu de diferente nessa semana, seguramente! Ou futebol ou CPI? Vamos de futebol!
Futebol nunca foi algo presente na minha vida. Em casa, meus pais nunca torceram para nada, e raramente me relacionei com alguém que gosta de futebol, digo essas pessoas que assistem futebol toda semana, sabe? Existe gente assim, né! Eu já vi, não fazem parte da minha realidade, mas sei que tem. Confesso que quando adolescente vi os últimos jogos da copa de 94 com a galera. Depois, vi a copa do Japão, porque o banco fechava para os jogos do Brasil, tamanha importância se dá ao futebol em nosso país!
Já na época da copa jogada no Brasil, foi diferente, eu estava bastante louca, na verdade eu entrei em um surto exotérico, sabe? Eu estava fazendo jejum e práticas intensas de yoga, me atacou um fanatismo aquariano, dei a louca e dizia que estava me preparando espiritualmente para o apocalipse! Eu realmente comecei a arrumar minha casa para uma tragédia, comprei água e comida e me preparei para a entrada de Plutão em Aquário. Segundo os círculos exotéricos que eu frequentava, diziam que o epicentro seria no Brasil e mais particularmente Brasília, o centro de uma grande catástrofe. Nóhhh, pirei na época com isso, achava que seria uma guerra normal, com armas ou uma tragédia natural, tipo terremoto, ou alguma contaminação de alimento, mas assim, como foi o vírus, eu não pensei não.
A tragédia prevista demorou uns anos a mais para chegar obviamente, mas chegou, e agora me lembro que não vi nenhum jogo dessa copa, justamente porque estava isolada, em detox de álcool e tudo mais e por isso também, a galera sumiu da minha casa, peneirando minhas amizades num pente fino válido até hoje em seus resultados. Eu, em total surto psicótico, passei por isso e me recuperei de minhas paranoias conspiracionistas, voltei a vida social e anos depois, aquela loucura me serviu para enfrentar a pandemia com toda calma do mundo.
Assim, vou arriscar me meter no assunto, desde minha visão, quase que inteiramente periférica sobre o tema.
Aqui em Buenos Aires, a rádio só falava nisso toda semana! Então ontem à noite, se via toda a cidade se movimentando para ver el partido! Fomos comprar uma pizza, na minha pizzaria favorita, que fica a duas quadras do meu apê. Eu sempre prefiro ir comprar a pedir um delivery, e assim aproveitamos para dar uma volta na praça. Dava para ver a movimentação, pirralhada de 20 anos, passando de galera, sem máscara, se escutava alguns gritos,se via um pouco mais de policia na rua. Como não tenho televisão, não saberia dizer, mas posso inferir pelo Facebook e pela rádio que era o único assunto do dia! Fiquei sabendo pelo Face que foi transmitido pelo SBT, afe, só de pensar de ouvir esse sotaque de tv, já me deprime, no SBT então!! Nammm, me dá vontade de suicídio, sério, entra bem profundo na minha alma…é muito horrível, não sei como tem gente que suporta a angustia que causa os sons emitidos em alguns canais, tenho pavor!
Mas voltando, eu olhava eles e via uma certa inocência até invejável, confesso, mas ainda assim, eu não gostaria de ter que ser obrigada a ver um jogo, só porque a galera toda vai. Eu, com toda minha carência de ascendente e lua em Câncer, nunca senti necessidade de gostar de futebol para sentir-me pertencendo a um grupo, mas claro, já me juntei a outros grupos e entendo que o sentido de pertencimento dá um pouco de afago ao coração, somos seres que necessitamos de um pouco de afeto e não adianta negar, acabamos virando uns bichos peçonhentos se não aprendemos um pouco a nos deixar tocar.
O grupo te dá, mas o grupo te exige, são uma série de regras, e uma regra que me molesta é ter de aceitar todos os infinitos convites a lugares que não quero ir! Ai que insuportável! Sempre achei impossível seguir a regra de grupos, seja ele qual for, sendo assim, a partir desse prisma, acho difícil entender o êxtase exacerbado que gera um gol e uma vitória de um time de futebol. Os poucos esportes que logrei ter certa identificação, foram esportes individuais, como o tênis, mas sempre com certa distância e desapego.
Eu sempre fui uma péssima fã, ainda mais quando eu vejo a grana que eles ganham! Gente, nunca entendi porque deixam claro isso,antes do jogo, me dá ódio! Aí, nesse momento, eles perdem uma fã, porque me dou conta que estou trabalhando pra eles, e só eles ganham, puta mais valia absurda! Não contem comigo, nem tenho mais tv, não assisto nenhum esporte! Creio que restrinjo meu fanatismo exclusivamente aos méritos humanos dentro da arte. Que Miles Davis fique mais rico porque eu o amo, está tudo bem para mim, mas de repente me pergunto: que tão grave seria para mim saber que meu ídolo tem ações que vão totalmente em desacordo com a minha ética? Realmente é difícil uma receita para fazer essa dissociação de forma honesta consigo mesmo, então vem aquela velha fórmula: separar a arte do artista! Vejo muito difícil essa solução, não sei se suportaria a vida sem Miles Davis e assim imagino que tem gente que não suportaria a vida sem futebol! Dilema sério! Eu já adianto que não tenho uma solução.
Okay, então seguimos com outras considerações, vejamos alguns outros pontos interessantes. Nossa sociedade premia as astúcias e habilidades fora da média, okay, aqui a meritocracia encontra terra fértil, uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. A ideia de genialidade é uma construção social também, é uma seleção falsa, e é um absurdo minimalista pensar que a única variável, um dom metafísico que a pessoa possui pode, contraditoriamente, justificar o milagre pelo esforço e mérito da pessoa, excluindo toda uma série infinita de variáveis que colaboram para o sucesso, e entre eles, dificilmente a variável honestidade é sine qua non.
Hoje, o fato de Neymar e Bruna Marquesine serem considerados algum tipo de gênios, a ponto de suas imagens valerem milhões de dólares já é um absurdo lógico, por dios! Onde chegamos!?? Pior é que concomitante o fato de não serem totalmente cancelados em tudo, por suas respectivas posturas políticas, e inaptidão cerebral, são muito pelo contrário, glamour, glamour esse que sustenta o valor dessas pessoas para nossa sociedade, que por sua vez, é um valor que inclui a normalização da violência, da sonegação de impostos, do machismo, da vulgarização da mulher, e outros de uma sociedade que constrói pilares morais que beneficiam o status quo de poder e são absolutamente hipócritas!
Consequentemente, posso inferir que existe uma moralidade por detrás do futebol, não só do futebol, de todos os esportes, porque a competição é a base de nossa sociedade, a competição é patriarcal, assim como toda forma de seleção artificial, como: classificação, hierarquização, metrificação e quantificação, pior ainda no caso de humanos como objeto de tal abstração. São todas ações somente possíveis dentro do pensamento neoliberal, dentro do capitalismo, que tem tudo isso normalizado! “É normal”- pensa a maioria das pessoas. Normal no sentido de universal, absoluto, no sentido de divino mesmo, uma norma que vem de deus e por isso todo mundo tem que aceitar, isso é o normal do capitalismo. Tem gente que é melhor que as outras, normal!
Me lembrei do Pelé! Quando Pelé apareceu no escândalo da negação de sua paternidade em níveis absurdos de cinismo e mal caráter, se podia ver que ele não tinha o menor problema de demonstrar para todo planeta sua decisão egoísta e machista, me lembro que isso me enfureceu na época, e me lembro que muita gente achou normal. A moralidade dos esportes sempre foi a moralidade da família tradicional, sempre foi machista, homofóbica, moralista, decolonial. Não quero dizer que uma pessoa pode ser usada para generalizar, mas no caso em que essa uma pessoa é um de seus ícones representativos, sim, se pode expandir aos seus membros. Seus representantes são necessariamente legitimados pelo grupo que os legitima.
O que fazer quando temos um egoísta selecionado para representar o melhor da raça humana? A burrice e o egoísmo pessoal de pessoas como o Pelé ou esse Neymar, não impediram eles de se tornarem ídolos e talvez por isso eles sejam incapazes de refletirem sobre suas raízes e sua própria sorte.
Pelo contrário, a massa valida sua autonegação e valida um sistema que premia e hierarquiza humanos sem tomar em conta o caráter ético, e a capacidade de pensar, como variável necessária para concorrer ao posto, não fazemos isso nem com nossos pastores, nme presidentes, nem familiares, não fazemos, a questão ética é mil vezes deixada de lado.
Até onde todo esse amor ao dinheiro, essa adoração a quantidade de dinheiro serve para a legitimação desses heróis patéticos ? O glamour que rodeia todo esse imaginário do futebol é inconcebível na minha cabecinha de burguesa intelectualóide, mas seguro que a grana que o Neymar faz, apesar de ser pura mais valia, não é nem a poeira do sapato dos que comandam a bagaça toda e a quem ele tem que obedecer. Até quando vamos suportar isso? Até quando o planeta vai suportar tudo isso?
Neymar tem sucesso e dinheiro, mas é incapaz de se autoperceber! Não tem capacidade de ser original, não tem capacidade de reflexionar sobre sua classe social, não tem afeição às pessoas que o mantém ali, é um ser multicelular, com certa inteligência para colocar a bolinha no buraco, mas por algum motivo, o destino escolheu ele para representar o melhor de nós, incrível disparate neoliberal, realmente são uns mágicos milagreiros esses capitalistas sem carater, the masters of puppets!
O poder do dinheiro sem a capacidade de refletir é algo terrorífico! Se pode ver o terror nos números do governo Bolsonaro. São números que expressam a gigante idiotez e o exacerbado desespero de seus participantes, são números de pessoas em um surto múltiplo! Toda sua personalidade explode para todos os lados diante dos nossos olhos! Entre gritos e ameaças ferozes se compram litros de leite condensado! A infinidade de objetos acumulados sem nenhum critério, ou, onde a quantidade é o único critério! Eles estão desesperados, se nota em tudo que fazem, sua tremenda angústia que é amenizada com quantidades de coisinhas infinitas! São muitas roupinhas, muitas coisas, muitas coisas, muito, muito,muito tudo!
Meu deusu, se ao menos pudessem pensar um pouco, respirar em um pensamento que suavisse essa existência ignorante dessa gente de direita! Me dá pena, me dá pena, porque não sabe pensar por si mesmo deve ser extremamente doloroso em algum momento, se deve sentir em algum momento de sua existência diária o frio das grades do capitalismo e por isso compram, compram, compram, todo dia, compram, para aplacar a angústia de não serem livres.
Sabemos também, que por isso que eles nos invejam tanto! Óbvio, eles invejam saber ler um livro, pensar, ter uma linha de pensamento sua, saber refletir, encontrar seus erros e tentar de novo algo diferente, ser livres, eles nos invejam! Por sorte nos invejam, isso é nossa esperança!
Sabemos disso quando refletimos sobre suas vidas cheias de raiva! De onde vem tanto ódio? Da frustração, da sua hipocrisia, da sua doble moral?
Com tanto que conquistaram sendo uns idiotas e ineptos deveriam estar muito satisfeitos, mas não, estão infelizes e cheios de ódio ! Olha só, que estranho! Estão cheios de ódio! Estão desesperados, direcionam suas frustrações, resultado de sua constatação direta de sua própria incapacidade de pensar, ao ódio que sentem pela esquerda! É por isso que invejam a nosotros! Sim, morram de inveja, porque sim, podemos transformar nossa angústia em poesia. Correr atrás de uma bola é muito bonito, mas é razo, né minha filho!? Esse mergulho nessa poça d’água é mortal, dói mesmo! Falta poesia na veia!
Aqui o futebol entra de novo como uma terapia de sanação, o futebol é cura! Os idiotas não estão sozinhos e podem gritar, gritar com toda força, gritar como se estivessem sendo violados, gritar como se estivessem sendo torturados, gritar como se estivessem morrendo de fome, gritar como se não tivessem direitos ou como alguém que levou uma bala perdida, podem gritar toda angústia que não vira arte, toda angústia de saber ao menos por um segundo que são uns idiotas vulgares, vergonha para humanidade e futuras gerações! Gritem, pobres coitados, gritem, aliviem sua dor!
Nossos tempos serão lembrados como tempos de trevas, de ignorância, de incapacidade e de vergonha, eu também vou gritar meu desespero de viver em um mundo assim, gritemos todes! Ahhhhhhhhhhh!
Mas então gente, a onda dá um jeito de sobreviver e passar bem, dá uns gritos, dancem, tomem vinho, relaxem, porque surtamos mesmo! Relaxo, não porque ignoro o problema, mas porque não quero seeeer mais um problema e tento passar bem. Como dizia ao início, o plano da noite era comer uma pizza napolitana com um Malbec e depois, nada de tv, projetor! O plano era assistir dois filmes do Corcunda de Notre Dame seguidos! Acabei de me dar conta que nunca havia visto esse clássico, e descobri que os dois atores que fazem o corcunda em cada película são dois gênios do cine! Me deu vontade de ver os dois filmes já! O filme/livro se passa na idade média, e foi incrível ver as afirmações absurdas, contextualizadas para dar verossimilitude ao pensamento da época, eram como retirados do Twitter, foi incrível ver esse filme baixo essa perspectiva atualizada do discurso político/religiosos da época em relação a nós, pobres humanos que somos, presos em nossas certezas.
Bom, mas como nessa época as pessoas se divertiam com o espetáculo de tortura em praça pública, creio que nem tudo está perdido, o fascismo há de perder força, imagino que essa volta do facismo deve ser aquele último fôlego de recuperação que o ser vivo dá antes de morrer, sabe? Talvez essa volta do facismo seja o sprint final, antes de sua morte definitiva! Talvez, talvez não, quem saberá, não sabemos! A necessidade absurda de ordem trouxe consigo a imprevisibilidade que eles tanto odeiam, já não se pode ter certeza de nada, e esperamos ver o final desse absurdo, estamos cansados de lutar. Enquanto tudo se reacomoda, assistam futebol, melhor que se divertirem vendo pessoas sendo enforcadas., indeed!
Sim estamos melhor, um pouquinho, mas já dá esperanças e hoje já não podemos nos dá o luxo de viver sem a esperança que essa onda vai passar, esperança que essa gente vai sofrer as consequências sociais de não terem escolhido o time da esquerda, para nunca mais voltar! A esquerda, ainda que débil, medrosa e corrompida, é o único time que dá pra jogar e levantar a bandeira!
Não escutei os gritos da vitória, porque o surround sound foi eficaz, mas antes de dormir já tinha uma mensagem com o placar! Fiquei feliz! Bueno, que o bozo fique na mão é um prazer! Vamos Argentina!
Boa semana pra vocês!
Leiam livros e tomem tempo para exercitar o pensar!
Escrevam poesias, subvertam!
Grace Maya
Buenos Aires- Julio 2021

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *