Lava-Jato prende Pastor Everaldo e mira suspeitos de elo com Witzel; saiba quem são

RIO – Agentes da Polícia Federal estão nas ruas para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão contra agentes públicos, políticos e empresários envolvidos no esquema de desvios na saúde liderado pelo governador Wilson Witzel, segundo a acusação, em crimes de corrupção e lavagem de dinheiro do grupo liderado pelo governador. Entre os alvos de prisão está o presidente do PSC, Pastor Everaldo, já preso, o advogado Lucas Tristão, ex-secretário de Desenvolvimento Econômico de Witzel, e o médico e ex-prefeito de Volta Redonda Gothardo Lopes Netto.

Lauro Jardim: Pastor Everaldo, um velho fisiológico, ‘dono’ da Cedae e encrencado na delação da Odebrecht

Há mandados de prisão também contra os empresários Mário Peixoto e os sócios Alessandro Duarte e Cassiano Luz. Estes, porém, já se encontram presos alvos da operação Favorito, realizada em maio.

Esquema similar ao de Cabral?: PGR pediu prisão de Witzel, mas ministro do STJ só autorizou afastamento

A delação do ex-secretário de Saúde Edmar Santos corroborou as provas reunidas nas operações Favorito e Placebo e deu nomes aos bois, permitindo aos investigadores visualizar todos os personagens da organização e o papel de cada um.
Desvios: STJ afasta Witzel do governo do Rio, e ação da PF prende acusados de fraudes na Saúde

As semelhanças e as confluências entre o esquema desbaratado na operação Calicute, que prendeu Sérgio Cabral, e o de agora, na ação denominada Tris in idem, indicam que Wilson Witzel também se cercou de integrantes de dentro e de fora do governo para dar continuidade ao esquema de corrupção, a exemplo de seu antecessor.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *