Deficientes cívicos-Por Lelê Teles

Por Lelê Teles
Central de Jornalismo
04 de janeiro de 2021

uma vez alijado do Direito do qual teria direito, o cidadão se torna um deficiente cívico.

aí vão dois claros exemplos disso.

esqueçamos a parte mística e fiquemos apenas com a leitura mítica.

à esquerda, o Jesus histórico com o seu semblante palestino.

o outro você já sabe quem é.

mais semelhanças?

um deu luz aos cegos, o outro criou o Luz Para Todos.

o que nasceu na Palestina distribuiu pães e peixes aos miseráveis famintos.

o do interior de Pernambuco criou o Bolsa Família.

tanto um quanto o outro foram achincalhados pelos poderosos por tentarem ajudar os infelizes, os desvalidos e os deficientes cívicos.

os dois sofreram condução coercitiva e foram levados à força para depor.

cada um negou os crimes pelos quais estavam sendo denunciados.

ambos foram julgados e condenados sem provas.

seus algozes lavaram as mãos depois de os condenarem.

filhos do povo, a dupla sofreu perseguição de uma malta de bem nascidos e bem alimentados que misturava política e religião.

os tais homens de bens.

foi a guarda do templo que levou o primeiro e o entregou ao chefe do poder secular.

o segundo está a ser julgado por homens da lei que usam trechos bíblicos para justificarem suas sentenças.

esses dois caras receberam xingamentos da multidão bem nutrida.

e essa mesma multidão pediu a morte dos dois cabras, preferindo a absolvição de um ladrão:

“Barrabás, Barrabás”, gritaram uns.

“somos milhões de Cunha”, bradaram outros.

o nascimento de um é comemorado dia 24 de dezembro.

o renascimento do outro será comemorado dia 24 de janeiro.

a cruz, todos o sabemos, foi o primeiro outdoor da história. era um instrumento de propaganda que escancarava a tortura de uns para dissuadir a rebeldia de outros.

as capas de jornalões e revistonas se prestam hoje a este mesmo propósito.

como um condenado, Lula está pendurado nelas há anos, é só dar uma olhada na abordagem científica de análise de conteúdo chamada manchetômetro.

sentenciado à crucificação, a morte física, a galileu ressuscitou entre os mortos, vivo.

condenado ao ostracismo, a morte política, o retirante ressuscitará os mortos-vivos.

e reacenderá as chamas da rebelião.

tudo o que uma revolta precisa é de um mártir.

palavra da salvação.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *