Polícia, milícia e traficantes se unem para destruir o candimblé no RJ

Por Redação TVR USM
Compartilhado por
Central de Jornalismo
06 de janeiro de 2021

O impensável e o inadmissível está acontecendo nas favelas cariocas.

Policiais militares, milicianos e traficantes convertidos pelas igrejas evangélicas neopentecostais se uniram em grupos paramilitares e estão expulsando, ameaçando, agredindo e perseguindo os adeptos e simpatizantes das religiões de matriz africana que residem nestas comunidades.
Em reportagem publicada hoje no Jornal Extra, nossos irmãos do Candomblé relatam que são proibidos de usarem roupas brancas e tem seus terreiros proibidos de exercer suas atividades.
Há muito o Rio de Janeiro vem se tornando terra de ninguém, onde polícia, milícia e traficantes exercem e impõe com total liberdade a violência contra os cidadãos
Esta união criminosa conta com o irrestrito apoio e estímulo de igrejas evangélicas neopentecostais, que incentivam a perseguição religiosa nas favelas como forma de se estabelecerem de maneira absoluta nestes locais, visando atingir o maior número de fiéis e, desta forma, aumentarem seus faturamentos com o dízimo.
Mais do que nunca o povo das religiões de matriz africana de todo o Brasil deve estar unido e denunciar está barbárie nas redes sociais e, assim, pressionar o Ministério Público e as autoridades para intervirem nesta realidade e protegerem nossos irmãos que correm risco de vida.
Unidos somos mais fortes!

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *