Diário da Quarentena- Os “Mortos e Desaparecidos” da Covid-19

Por Caco Schmitt
Jornalista, roteirista e diretor. Trabalhou na TV Cultura/SP como diretor e chefe da pauta do jornalismo; diretor na Agência Carta Maior/SP e na Produtora Argumento/SP. Editor de texto no Fantástico, TV Globo/SP. Repórter em vários jornais de Porto Alegre, São Paulo e Brasília.

A figura que me vem à mente é essa: Mortos e Desaparecidos. De acordo com o livro Direito à Memória e à Verdade, publicado em 2007 pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República durante o Governo Lula, 475 pessoas morreram ou desapareceram por motivos políticos durante a ditadura militar no Brasil. Sabemos que o número de mortos é bem maior, se somarmos os assassinatos de lideranças camponesas, indígenas etc., e que muitos nomes ficaram de fora da investigação realizada. Por isso, se fizermos uma recontagem, o total de pessoas assassinadas pela ditatura militar iniciada com o golpe de 1964 será bem maior.


E isso é o que vai acontecer se for feita uma recontagem séria do número de mortes no Brasil pela covid-19. Os números oficiais de ontem somam 672.846 casos e 35.930 mortes, mas o total de pessoas infectadas é muito maior. E a subnotificação de mortes por covid-19 é grande. O número de brasileiros que morreram por “pneumonia” ou “insuficiência respiratória grave” cresceu até oito vezes em alguns estados e centenas de pessoas estão sendo enterradas sem terem feito exames pra confirmar a causa mortis. Se fizerem a recontagem vão ficar horrorizados como todos já estamos.


Trata-se de crime de ocultação de cadáver previsto no artigo 211 do Código Penal. Vejam o texto: Art. 211 – Destruir, subtrair ou ocultar cadáver ou parte dele: Pena – reclusão, de um a três anos, e multa. Vilipêndio a cadáver.


O que esse empresário cretino, chamado Carlos Wizard Martins, está fazendo é seguir ordens do general que atualmente comanda o Ministério da Saúde com ajuda de 20 militares nomeados. Ele assumiu a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos porque defende a cloroquina e vai seguir a tática dos tempos da ditadura militar de esconder a verdade, porque ela é perversa. Antes de assumir, já ofendeu o povo brasileiro ao dizer que o número de mortes está sendo aumentado porque os estados querem mais dinheiro. Essa é a lógica dele como empresário sujo. Fraudar… Mas, eles têm razão, precisam esconder a verdade porque muitas das mortes causadas pela covid-19 são verdadeiros assassinatos desse governo responsável pela imensa tragédia que se abate sobre o Brasil. Eles não organizaram o combate à pandemia, não estabeleceram uma diretriz nacional, minimizam a realidade, estimulam o contágio e não enviam apoio necessário aos estados.

O resultado é que milhares de brasileiros estão morrendo quando poderiam ser salvos. Então, é assassinato! Só resta aos militares de plantão a ocultação de cadáver. Como os enterros não podem ser clandestinos porque, apesar das restrições, os familiares enterram seus entes queridos, a saída dos perversos é ocultar nas estatísticas e mudar a “causa mortis”. Se ainda não podem calar a imprensa como na ditadura, nem abrir valas clandestinas ou jogar os corpos ao mar, a saída macabra é mudar as estatísticas.

Tão perigoso quanto o novo coronavírus é o vírus do autoritarismo, o vírus da truculência, da violência contra o povo e do desprezo pela morte do semelhante. Isso deve ser combatido hoje com extrema urgência para evitarmos uma tragédia dentro da tragédia.

Administrador

Fonte Segura: Central de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *